VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

BAIXE O APLICATIVO RADIOSNET E OUÇA A NOVA XUCURU EM TODO LUGAR; CLIQUE NA FOTO ABAIXO E SAIBA MAIS

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

CRIADORES DE GADO DEVEM VACINAR REBANHO CONTRA "MAL DA VACA CAÍDA" NO INTERIOR DE PE

A informação é do G1 CARUARU -

A morte de bois, vacas e bezerros em fazendas nas cidades de São Bento do Una e  Ibirajuba, municípios no Agreste de Pernambuco, levou a Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro) a emitir um alerta para os criadores do interior de Pernambuco.

Mesmo sem ter ainda a confirmação da causa das mortes, a Adagro trabalha com a hipótese de botulismo. “Estamos trabalhando com a possibilidade de infecção por botulismo, mas só podemos ter a certeza depois que saírem os laudos laboratoriais”, explicou a diretora presidente da Adagro, Erivânia Camelo. Os exames seguirão para um laboratório em São Paulo e os resultados devem sair em 10 dias.

Diante dessa possibilidade a recomendação da Adagro é que os produtores procurem imunizar seus animais contra a doença, pois além de não ter cura o animal pode morrer em algumas horas ou semanas, depende da quantidade de toxina ingerida.

O botulismo é uma forma de intoxicação alimentar, causada por uma toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum, que se desenvolve em ambientes sem oxigênio e pode estar presente no solo, na água e em alimentos contaminados. O botulismo também é conhecido como “doença ou mal da vaca caída”.

O Clostridium botulinum pode ser encontrado frequentemente no intestino do animal, e quando ele morre, aparecem condições favoráveis para o desenvolvimento da bactéria e da toxina. O principal sintoma do Botulismo é a paralisia dos músculos de locomoção, mastigação e deglutição.

O problema se manifesta inicialmente nas patas traseiras, e o animal começa a apresentar um andar duro e desajeitado preferindo ficar deitado. Depois o animal apresenta dificuldade em pastar e mastigar alimentos. Não há febre e a duração da doença é variável, e vai depender da quantidade de toxina ingerida.

Os animais também podem manifestar a enfermidade bebendo água parada, geralmente rasa e esverdeada. Outra forma de contaminação é pela ingestão de grãos de milho, feno, silo e rações armazenados de forma inadequada ou em estado de decomposição. A cama de frango é um excelente meio para a proliferação do clostridium.

Imagem: Reprodução/TV Asa Branca

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More