VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

BAIXE O APLICATIVO RADIOSNET E OUÇA A NOVA XUCURU EM TODO LUGAR; CLIQUE NA FOTO ABAIXO E SAIBA MAIS

segunda-feira, 30 de junho de 2014

GOVERNO FEDERAL MANTÉM IPI REDUZIDO PARA MÓVEIS E AUTOMÓVEIS ATÉ O FINAL DO ANO

Além de manter os impostos reduzidos sobre os veículos, o Ministério da Fazenda não reajustou as alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a indústria de móveis e painéis de madeira. Em nota, a pasta informou que manteve a desoneração para o setor até o fim do ano.

Assim como no caso dos veículos, as alíquotas também voltariam ao normal amanhã (1º). Para móveis, painéis e revestimentos de móveis, o IPI ficou em 4%, um ponto percentual a menos que a alíquota normal, de 5%. Para luminárias, o imposto foi mantido em 12%, três pontos a menos que a alíquota cheia, de 15%.

De acordo com o Ministério da Fazenda, o governo deixará de arrecadar R$ 161,6 milhões de julho a dezembro.

Mais cedo, o ministro Guido Mantega tinha anunciado, em São Paulo, a prorrogação dos incentivos fiscais para a indústria de veículos até 31 de dezembro. A manutenção do IPI reduzido para os automóveis custará R$ 1,6 bilhão ao governo até o fim do ano.

Informa a Agência Brasil

DETRAN-PE AMPLIA PRAZO PARA CIRCULAR COM DOCUMENTO DE 2013 DO VEÍCULO, CONFORME FINAL DA PLACA

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PE) modificou a validade do Certificado de Licenciamento Anual (CLA), também conhecido por Certificado de Registro e Licenciamento Veicular (CRLV). Os prazos finais para que os condutores circulem com o documento de 2013 passam a ser o último dia dos próximos meses de julho, agosto e setembro, de acordo com a terminação das placas.

Ilustrativo
A mudança será publicada no Diário Oficial do Estado nesta terça (1°). Na prática, isto quer dizer que, pelo menos, até o fim de julho, nenhum agente de trânsito, em Pernambuco, poderá multar condutores que estejam circulando com o CLA do ano passado.

O órgão afima que a medida encontra respaldo na Resolução 110/2000 do Conselho Nacional de Trânsito, que dá a cada Departamento Estadual de Trânsito liberdade para, com base em seu plano administrativo, definir o próprio calendário do CLA. A condição é que não ultrapasse o calendário-base nacional.

O novo calendário servirá de referência para os órgãos fiscalizadores, a exemplo do Detran-PE, Companhia de Trânsito e Transportes Urbanos do Recife (CTTU), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE), entre outros, cuja fiscalização se dá em âmbito pernambucano.

Veículos de outros estados
A fiscalização de veículos registrados em outros estados e que estiverem circulando em Pernambuco tem como referência o calendário-base nacional, trazido pela Resolução 110/2000. Confira o novo calendário na tabela abaixo;

Terminações das placasPrazo limite
1, 2, 3 e 431/07/2014
5, 6 e 731/08/2014
8, 9 e 030/09/2014
Fonte: Detran-PE

Informa o G1 PE

ALEMANHA SOFRE, MAS SUPERA A ARGÉLIA E SE CLASSIFICA PARA AS QUARTAS DE FINAL DA COPA 2014

A Alemanha entrou como favorita para o confronto contra a Argélia pelas oitavas de final da Copa do Mundo, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, nesta segunda-feira. Mas sofreu do início ao fim do duelo, precisando da prorrogação e de muita luta para superar o adversário. Em um confronto angustiante, os alemães venceram por 2 a 1, com gols Schürrle e Özil, só na prorrogação, e garantiram a sua vaga nas quartas de final. Djabou marcou para os argelinos. Agora, a equipe alemã encara a França, nesta sexta, no Maracanã, a partir das 13 horas.

Foto: AFP
Com a presença, mais uma vez nos jogos desta Copa, do presidente da Fifa, Joseph Blatter, a partida foi a despedida do Beira-Rio do Mundial. E o duelo trazia também o retrospecto favorável para os argelinos, que venceram os únicos confrontos entre os dois países até então - por 2 a 0, em 1964, e por 2 a 1, na Copa de 1982, na Espanha. Este panorama foi suficiente para aumentar o ímpeto argelino, que mostrou muita raça para vender caro a passagem dos alemães às quartas do Mundial.

O JOGO - O confronto começou com a Alemanha dominando as ações do duelo, controlando o meio de campo e tentando infiltrações na defesa argelina. Na primeira delas, Mustafi recebeu aos 2 minutos por trás do lateral Ghoulam, em condições. O auxiliar brasileiro marcou impedimento, mas a posição era legal. A Argélia mostrava desde o início a sua estratégia para o jogo: uma linha de quatro no meio e outra de cinco na defesa, com apenas o atacante Slimani na frente. Uma verdadeira barreira viva que os alemães teriam de transpor.

Aos 8 minutos, emoção no Beira-Rio. Em erro no ataque, Mustafi perdeu a bola na direita e possibilitou o que o time argelino esperava, o contra-ataque. Em bola esticada pela esquerda, Mertesacker deixou espaço e Neuer saiu para bloquear Slimani, que saiu sozinho para marcar o primeiro gol da partida. Neuer quase foi superado na corrida, mas conseguiu travar o chute do argelino e mandar para escanteio. Na sequência, aos 10, com a defesa alemã aberta pela falta de Hummels, que ficou doente e não foi escalado para o duelo, Mertsacker deixou o pé e por um triz tirou a bola de Slimani, que sairia na cara de Neuer, em mais uma jogada de perigo dos africanos. O que se transformaria no lance usual da partida.

A primeira chance da Alemanha só ocorreu aos 13 minutos, quando Schweinsteiger chutou firme de fora da área para boa defesa, em dois tempos, de Mbolhi. Na sequência, mais um susto da defesa alemã. Em jogada individual para cima de Höwedes e Boateng, Feghouli ficou livre e, na hora de cruzar ou definir com qualidade, chutou alto por cima de Neuer. Mas a Argélia não parava e, em mais uma jogada de falha da zaga alemã, Ghoulam cruzou com precisão na cabeça de Slimani. O atacante estava um pouco à frente e o impedimento foi marcado.

Em outra jogada, aos 17 minutos, a Argélia mostrava que queria chegar às quartas. Em mais uma bela troca de passes pela esquerda, Ghoulam entrou na cara de Neuer, mas chutou longe do gol alemão. A Alemanha voltou a assustar aos 22, com Özil, que não cruzou nem chutou. Mas a bola saiu com efeito e quase surpreendeu o goleiro Mbolhi, que tocou para escanteio. A defesa alemã estava insegura e, em mais um lance de dúvida, Mertesacker quase perdeu a disputa com Slimani. Neuer teve de intervir para mandar para a lateral, de carrinho. Com o volume de oportunidades, a Argélia ganhava até o controle de bola no meio, com toques estéreis dos jogadores de meio-campo da Alemanha, em um domínio ilusório. Os alemães só assustavam com bolas aéreas.

Aos 39 minutos, outro lance de perigo para a Argélia, uma rotina no confronto. Em sobra de lateral argelino, Mostefa bateu forte, a bola desviou em Boateng e quase entrou no gol de Neuer, já batido. Em um primeiro tempo muito movimentado, com muita aplicação argelina e Neuer jogando praticamente todo o jogo como "líbero", o duelo só não teve seu placar alterado por causa da falta de precisão dos atacantes de ambas as equipes.

Na volta do intervalo, a Alemanha continuava sua estratégia de muitos toques inofensivos no meio, deixando a cargo de Mertesacker e Boateng, zagueiros, a organização das jogadas do time. Em uma jogada confusa, a Alemanha quase marcou, sem querer quando Schürrle, que tinha entrado no lugar de Götze, chutou em cima da zaga e a bola quase encobriu o goleiro Mbolhi. No escanteio, após boa jogada de Kroos pela esquerda, Mustafi subiu alto, ganhou do zagueiro, mas cabeceou nas mãos do goleiro argelino.

Aos 8 minutos, Mbolhi virava o jogador da partida ao defender de forma espetacular um bom chute de Lahm. O jogo continuava com muito nervosismo e com a Alemanha tentando impor seu favoritismo de forma bem desorganizada, contra a valente Argélia. Os alemães começavam a lançar a bola para a área dos argelinos, sem muita técnica, apenas cruzando bolas.

O duelo perdeu um pouco da intensidade, com as duas equipes se poupando mais, talvez com os técnicos pensando já na prorrogação. Com a contusão de Mustafi, Lahm voltou a atuar na direita e Khedira voltou a jogar com Schweinsteiger no meio, ao lado de Kroos e Özil, deixando o meio de campo alemão mais ofensivo. Mas o jogo dos europeus não encaixava. Aos 34 minutos, Müller, em jogada de Khedira pela direita, outra vez, o vice-artilheiro da Copa do Mundo recebeu livre, sem marcação, mas testou em cima de Mbolhi, perdendo uma chance clara de gol. Na sequência, Müller, de novo, em outra jogada de craque, tirou dois zagueiros, mas chutou para fora.

O jogo ganhava ares dramáticos, com qualquer equipe podendo abrir o marcador. Aos 39 minutos, falta para a Alemanha na entrada da área, em lance de mão de Feghouli no chute de Boateng. Em jogada patética, os alemães "tentaram" ensaiar uma cobrança, mas Müller caiu e o resultado foi ridículo. Na resposta argelina, mais uma vez Neuer salvou, jogando definitivamente como líbero. Aos 42, em levantamento de Lahm, Schweinsteiger "atrasou" de cabeça para o bom Mbolhi.

As duas seleções mostravam muita luta, mas também desorganização em campo. A partida iria, mais uma vez nesta Copa, para a prorrogação. Logo no primeiro minuto, Schürrle derrubou a retranca argelina após boa jogada de Müller pela esquerda, tirando três zagueiros africanos. O atacante alemão cruzou rasteiro para a conclusão de letra do jogador do Chelsea.

Com a vantagem, a Alemanha respirou mais e até criou mais uma chance com Müller, que chutou em cima de Halliche. Em outra jogada, que poderia definir a partida, Özil, de forma displicente, esperou o zagueiro argelino chegar que, com cãibras ainda cortou para a lateral. Por sua vez, os argelinos não desistiam, adiantando a marcação e dificultando o toque de bola alemão. Ainda em um primeiro tempo movimentado, Müller, mais uma vez ele, arriscou em jogada individual de fora da área, para assustar Mbolhi. Mas os sustos continuavam na área alemã. Aos 11 minutos da prorrogação, Mostefa quase fez para a Argélia em mais um erro de Khedira, ao rebater mal a bola do escanteio.

No segundo tempo da prorrogação, os argelinos jogavam todas as suas forças contra a frágil defesa alemã, que se virava como podia. Em cruzamento de Djabou, Mertesacker tirou com seu 1,98m no último instante. Com vários jogadores sofrendo com cãibras nas duas equipes, a partida era puro drama. Em jogadas claras de gol, a Alemanha mantinha o martírio ao não definir o resultado, primeiro com Kramer e depois com Müller. Mas aos 14 minutos, Özil, com o gol sem goleiro, ampliou. A emoção não acabou e, nos acréscimos, Djabou fez o gol de honra da brava Argélia.

FICHA TÉCNICA

ALEMANHA 2 - Neuer; Mustafi (Khedira); Mertesacker, Boateng e Höwedes; Lahm, Schweinsteiger (Kramer), Kroos e Özil; Götze (Schürrle) e Müller. Técnico: Joachim Löw.

ARGÉLIA 1 - Mbolhi; Mandi, Belkalem, Halliche (Bougherra) e Ghoulam; Taider (Brahimi), Lacen, Fehgouli e Mostefa; Slimani e Soudani (Djabou). Técnico: Vahid Halilhodzic.

GOLS - Schürrle, a 1 minuto do primeiro tempo da prorrogação; Özil, aos 14, e Djabou, aos 16 minutos do segundo tempo da prorrogação.

CARTÕES AMARELOS - Lahm (Alemanha); Halliche (Argélia).

ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (Fifa/Brasil).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

Informa o NE10

TERMINA NESTA SEGUNDA-FEIRA O PRAZO PARA SAQUE DO ABONO SALARIAL NO VALOR DE R$ 724,00 DO PIS/PASEP

Termina nesta segunda-feira (30) o prazo pra que os trabalhadores que têm direito ao abono salarial façam o saque do benefício, referente a 2013, no valor de R$ 724. 

Para ter direito é preciso obedecer aos seguintes critérios: estar cadastrado no PIS/PASEP há pelo menos cinco anos; ter trabalhado com carteira assinada ou ter exercido cargo público durante pelo menos 30 dias em 2013; e ter recebido até dois salários mínimos mensais.

Saiba como sacar o benefício
Trabalhadores inscritos no PIS recebem o abono nas agências da Caixa. Os que estão inscritos no Pasep podem fazer o saque no Banco do Brasil. Para retirar o dinheiro, é preciso apresentar documento de identidade e o número de inscrição no PIS ou no Pasep.

Quem possui o cartão cidadão com senha cadastrada também poderá sacar o benefício em casas lotéricas, caixas de autoatendimento e postos da Caixa.

Ministério pagou abono a 21 milhões de trabalhadores
Até o dia 20 deste mês, o benefício já tinha sido pago a quase 22 milhões de trabalhadores, ou 94,3% do total de pessoas que têm direito ao benefício, segundo dados do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego). Isso representa R$ 14,3 bilhões em recursos.

Desde 15 de abril o ministério vem enviado cartas a todos os trabalhadores identificados que ainda não foram buscar o abono. Cerca de 1,2 milhão de pessoas ainda não sacaram o benefício.

Informa o UOL NOTÍCIAS

PACIENTES COM AIDS COMEÇAM A RECEBER MEDICAMENTO 3 EM 1 ATRAVÉS DO SUS

O Ministério da Saúde iniciou a oferta da dose tripla combinada, o chamado três em um, dos medicamentos Tenofovir (300 mg), Lamivudina (300 mg) e Efavirenz (600 mg). Atualmente, esses fármacos são distribuídos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e consumidos, separadamente, pelos pacientes com portadores de HIV e aids. O novo tratamento será ofertado, em um primeiro momento, para dois estados que possuem as maiores taxas de detecção. A dose fixa combinada será disponibilizada gradativamente aos demais estados do país.

O principal ganho com o novo medicamento antirretroviral está na redução do número de pacientes que deixam de dar continuidade ao tratamento. Isso porque a disponibilidade das três composições em um único comprimido facilita a ingestão permitindo boa adesão ao tratamento e durabilidade do esquema terapêutico.

Essa combinação de medicamentos integra o Protocolo Clínico de Tratamento de Adultos com HIV e Aids do Ministério da Saúde, publicado em dezembro de 2013, e será disponibilizado como tratamento inicial para os pacientes soropositivos. Considerado um importante avanço, o Brasil passa a garantir o tratamento três em um, a exemplo de países como Estados Unidos, China e África.

A partir de agora, pacientes destes dois estados passam a tomar, em dose única, os medicamentos: Tenofovir (300 mg), Lamivudina (300 mg) e Efavirenz (600 mg). O tratamento será disponibilizado, inicialmente, para pessoas que sejam identificadas como soropositivo a partir da data de publicação do anúncio do Ministério da Saúde (27 de junho de 2014). Estima-se que cerca de 11 mil pacientes devam ser atendidos nos dois primeiros estados. Os medicamentos já estão disponíveis nos estados do Rio Grande do Sul e Amazonas. A medida se estenderá gradativamente aos demais estados do país e a todos os pacientes soropositivos.

Cenário - De acordo com o Boletim Epidemiológico HIV-Aids, em 2012 o Rio Grande do Sul apresentou a maior taxa de detecção do país, com 41,4 casos por 100 mil habitantes, e o Amazonas 29,2. A taxa de detecção do Brasil é de 20,2 registros da doença.

Em dezembro de 2013, o Ministério da Saúde passou a garantir a todos os adultos com testes positivos de HIV, mesmo que não apresentem comprometimento do sistema imunológico, o acesso aos medicamentos antirretrovirais contra a aids pelo SUS. A medida também integra o novo Protocolo Clínico de Tratamento de Adultos com HIV e Aids.

Desde o início da oferta do antirretroviral no SUS, há 17 anos, 313 mil pessoas foram incluídas no tratamento. Com o novo protocolo, o Ministério da Saúde passou a disponibilizar os medicamentos a mais 100 mil pessoas, apenas em 2014. Isso significa um aumento de 32% no número de pacientes vivendo com HIV com acesso ao antirretroviral.

A rede de assistência conta hoje com 518 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), 712 Serviços de Assistência Especializada (SAE) e 724 Unidades de Distribuição de Medicamentos (UDM). Gradualmente, as Unidades Básicas de Saúde estão sendo incorporadas na atenção aos pacientes vivendo com aids e HIV. 

Informa o PORTAL DA SAÚDE

FRANÇA SOFRE, MAS VENCE A NIGÉRIA E GARANTE VAGA NAS QUARTAS DE FINAL DA COPA 2014

A França sofreu diante da Nigéria, teve quase 80 minutos de muita dificuldade e chegou a ver os adversários serem melhores. Mas bastaram 15 minutos de pressão para que a seleção do técnico Didier Deschamps garantisse vaga nas quartas de final da Copa do Mundo. Em uma verdadeira blitz ofensiva já na segunda metade do segundo tempo, os franceses chegaram à vitória por 2 a 0 nesta segunda-feira, no estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, e mantiveram-se vivos na briga pelo título.

Foto: AFP
Depois de grandes partidas contra Honduras e Suíça (vitória por 3 a 0 e 5 a 2, respectivamente) e de um jogo ruim contra o Equador (empate por 0 a 0), a França alternou bons e maus momentos nesta segunda. Os ótimos 15 minutos finais da equipe, no entanto, foram suficientes para confirmar a vitória.

Os franceses ainda contaram com a ajuda de Enyeama. O goleiro nigeriano fazia grande partida, mas errou no primeiro gol francês ao sair mal após escanteio da esquerda e soltar a bola na cabeça de Pogba, que marcou. O gol, aliás, premiou a grande atuação do jogador da Juventus, melhor da seleção em campo e responsável por ditar o ritmo ao longo dos 90 minutos. No fim, Yobo, contra, marcou o segundo.

Os franceses voltam a campo para as quartas de final nesta sexta, no estádio do Maracanã, no Rio. Já a Nigéria segue sem nunca ter chegado às quartas de uma Copa do Mundo, depois de ir às oitavas em 1994, 1998 e agora em 2014.

O JOGO - A França começou um pouco melhor, ficando com a posse, mas as duas equipes pareciam muito nervosas e abusavam da perda de bolas no meio de campo. Como buscavam mais o controle do jogo e seguiam errando muitos passes, os franceses sofriam um contra-ataque após o outro.

Aos 18 minutos, Debuchy errou na linha de fundo e entregou no pé de Musa, que dominou e cruzou. Emenike chegou tocando para a rede, mas estava um pouco à frente e o árbitro viu corretamente a posição de impedimento. A França respondeu aos 21. Pogba fez linda jogada, tocou para Valbuena e foi para a área receber. O meio-campista pegou de primeira, com estilo, mas Enyeama fez grande defesa.

A Nigéria se fechava da intermediária para trás, conseguia bons contra-ataques e equilibrava o jogo. A França, no entanto, aos poucos viu o nervosismo de seus jogadores diminuir, melhorou o toque de bola e aí a superioridade técnica apareceu. Pogba e Matuidi ditavam o ritmo do jogo e os franceses sofriam apenas com o ataque inoperante, com Valbuena e Giroud apagados e Benzema incomodado por atuar tão aberto pela esquerda.

Quando todo mundo do ataque trabalhou bem, foi Debuchy quem perdeu ótima chance. Aos 39 minutos, Matuidi arrancou pelo meio e tocou para Valbuena, que rolou para o lateral-direito francês. Mesmo com espaço, ele encheu o pé e isolou. Mas a última chance foi da Nigéria, que, se não criava, resolveu arriscar de longe. Aos 43, Emenike chutou pela direita e exigiu trabalho de Lloris

Logo no início do segundo tempo, um lance muito duro tirou Onazi de campo, depois que o atacante da Nigéria recebeu um pisão no tornozelo esquerdo de Matuidi e precisou ser substituído por Gabriel. O cartão amarelo ficou barato para o francês. Mesmo perdendo um de seus principais jogadores do primeiro tempo, os nigerianos cresceram na etapa final e se tornaram donos da posse de bola.

Mas os africanos só foram criar uma boa chance aos 19 minutos. Odemwingie recebeu pela direita, cortou para o meio e encheu o pé. A bola foi venenosa e Lloris não conseguiu agarrar. Três minutos depois, Emenike foi lançado pela direita e cruzou, mas Koscielny cortou.

A França não criava nada, mas a qualidade técnica de seus jogadores quase fez a diferença aos 24 minutos. Benzema recebeu pela esquerda, driblou um zagueiro, tabelou com Griezmann e, de frente para o gol, bateu em Enyeama. A bola voltou no próprio atacante francês, bateu nele e ia em direção ao gol quando Moses, quase em cima da linha, apareceu para tirar.

O time francês cresceu com a chance perdida e aos 31 minutos quase marcou. Benzema aproveitou sobra de escanteio e cruzou. A zaga afastou, mas a bola, então, ficou com Cabaye, que dominou e encheu o pé no travessão. Mais dois minutos e Enyeama salvou a Nigéria, após cabeçada de Benzema.

Na cobrança de escanteio, a pressão resultou em gol. Valbuena bateu pela esquerda, Enyeama desta vez foi vilão e saiu muito mal, deu apenas um tapa fraco na bola, que parou na cabeça de Pogba. Sem goleiro, o volante tocou fraco de cabeça, mas o suficiente para empurrar a bola para o gol.

Aos 38 minutos, Enyeama voltou a mostrar toda a sua qualidade e espalmou chute forte de Griezmann. Aos 45, a França fez o segundo. Após escanteio da direita, Valbuena cruzou rasteiro para a área, Griezmann tentou se antecipar, mas a bola bateu em Yobo e entrou, selando o resultado final.

FICHA TÉCNICA

FRANÇA 2 x 0 NIGÉRIA

FRANÇA - Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Cabaye, Matuidi e Pogba; Valbuena (Sissoko), Benzema e Giroud (Griezmann). Técnico: Didier Deschamps.

NIGÉRIA - Enyeama; Ambrose, Yobo, Oshaniwa e Omeruo; Onazi (Gabriel), Mikel, Musa e Moses (Nwofor); Odemwingie e Emenike. Técnico: Stephen Keshi.

GOLS - Pogba, aos 33, e Yobo (contra), aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Matuidi (França).

ÁRBITRO - Mark Geiger (Fifa/Estados Unidos).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 67.882 torcedores.

LOCAL - Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (DF).

Informa a Agência Estado

NOTA DE ESCLARECIMENTO; FESTA DAS MAROCAS 2014

ORKUT SERÁ ENCERRADO EM 30 DE SETEMBRO

É oficial: o Orkut será desativado em 30 de setembro deste ano, conforme anúncio feito pelo Google na manhã de hoje, antecipado ao Olhar Digital. A partir desta segunda-feira, já não é mais possível abrir contas no serviço.

A empresa pede desculpas aos usuários pela atitude, mas afirma que ela é necessária porque o Orkut deixou de ser relevante, graças ao surgimento de plataformas melhores.

“Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo”, comenta o diretor de engenharia do Google, Paulo Golgher. “O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.”

Confira abaixo o texto, intitulado “Adeus ao Orkut”:

Dez anos atrás, o Google mergulhou pela primeira vez nas redes sociais por meio do Orkut, que nasceu como projeto experimental de um engenheiro que deu nome à rede. As comunidades do Orkut deram forma a conversas e conexões que até então não existiam, antes mesmo que as pessoas soubessem o que eram "redes sociais".

Ao longo da última década, YouTube, Blogger e Google+ decolaram, com comunidades surgindo em todos os cantos do mundo. O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus ao Orkut e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas outras plataformas sociais ainda mais incríveis para todos os usuários.

O Orkut será descontinuado no dia 30 de setembro de 2014. Até lá, não haverá impacto para os atuais usuários, para que a comunidade tenha tempo de lidar com a transição. Usuários podem exportar as informações do seu perfil, mensagens de comunidades e fotos usando o Google Takeout (disponível até setembro de 2016). A partir de hoje, novos usuários não podem criar novas contas no Orkut.

O Orkut pode estar indo embora, mas todas as incríveis comunidades criadas pelos usuários vão ficar. Um arquivo com todas as comunidades públicas ficará disponível online a partir de 30 de setembro de 2014. Se você não quiser que seu nome ou posts sejam incluídos no arquivo de comunidades, você pode remover o Orkut permanentemente da sua conta Google.

Foram 10 anos inesquecíveis. Pedimos desculpas para aqueles que ainda utilizam o Orkut regularmente. Esperamos que vocês encontrem outras comunidades online para alimentar novas conversas e construir ainda mais conexões, na próxima década e muito além.

Informa o OLHAR DIGITAL

DO BLOG DE INALDO SAMPAIO: TIMES EM CAMPO PARA O DUELO FINAL

Com a realização, ontem, em Caruaru, da convenção regional do PTB, estão definidos os dois principais candidatos ao governo estadual: Paulo Câmara e Armando Monteiro Neto. Câmara, auditor licenciado do TCE, nunca disputou uma eleição. Mas ocupou cargos de direção no próprio TCE e geriu três secretarias no governo de Eduardo Campos: Administração, Turismo e Fazenda. Foi escolhido pelo então governador como candidato por ter, segundo este, “comando e autoridade”. 

Reprodução
O senador é oriundo da iniciativa privada e tem larga experiência de vida pública. Foi presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco, deputado federal em três legislaturas e presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O desafio de Câmara é convencer a maioria dos eleitores a manter em campo o mesmo time que ganhou as duas últimas eleições estaduais e o do senador é mandar para casa o grupo político que está no poder há oito anos.

Frase infeliz do tucano

Aécio Neves (PSDB) vinha fazendo tudo certo como candidato a presidente, mas na última 4ª feira pisou na bola. Ao referir-se a políticos governistas que estão na iminência de apoiá-lo, disse: “Eu digo que façam isso mesmo: suguem mais um pouquinho e depois venham para o nosso lado”. Com isso pôs a bola nos pés de Eduardo Campos (PSB), que o rebateu com essas palavras: “Tem gente que acha isso bonito, mas, conosco vai acabar essa história de suga-suga”.

Rendição – Cid Gomes (CE) e Eduardo Campos (PE) romperam com o PT na mesma época (2012) para tentar eleger com as próprias forças (PSB) os prefeitos de suas capitais – Fortaleza e Recife, respectivamente. Deram-se bem. Ontem, Cid voltou para os braços do PT ao anunciar que o candidato à sua sucessão será o deputado estadual Camilo Santana (PT). Campos resiste.

Prévia – Três semanas antes de o deputado Eduardo da Fonte formalizar o apoio do PP estadual ao candidato Paulo Câmara, a cúpula regional do PSB já dava esse fato como “consumado”.

Saudade – Luciano Bivar (PSL) é um dos poucos ex-deputados federais que sentiram saudade da Câmara, após passar por ela na década passada, e vai tentar a volta em outubro próximo.

Pesquisa – Responsável pelo marketing de Paulo Câmara, o jornalista Édson Barbosa prometeu à Frente Popular que ele entrará no mês de setembro liderando as pesquisas de opinião.

Ausência – Petebistas lamentaram ontem, em Caruaru, a ausência do prefeito de Petrolina, Júlio Lossio (foto), na convenção do partido, pois seria dele um dos mais vigorosos discursos de apoio à candidatura de Armando Monteiro à sucessão estadual. Lossio é dissidente no PMDB.

Firmeza – Mas tendo dissentido da candidatura de Armando Monteiro ao governo estadual, a prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (PTB), aproveitou a “Agenda 40” do PSB para reafirmar aos seus seguidores que seu candidato à Câmara Federal é o ex-prefeito Zeca Cavalcanti (PTB).

Aviso – O prefeito João Mendonça (PSD) mandou a avisar a Paulo Câmara (PSB) que está à disposição dele e do partido “para o que der e vier”, mas faz uma exigência: ser poupado de aparecer em público ao lado do deputado Mendonça Filho (DEM). “Não faria nenhuma questão se ele (Mendonça) não vivesse me atacando em Belo Jardim, chamando-me de traidor e mau caráter”.

Opção – Um dos discursos mais duros contra o governo Dilma na convenção nacional do PSB foi o do deputado Roberto Freire, presidente nacional do PPS. Ele tem discordâncias pontuais com a candidata a vice, Marina Silva, mas está à vontade na oposição porque se Eduardo Campos não for ao 2º turno no dia seguinte o PPS declara o seu apoio ao candidato Aécio Neves (PSDB).

GRANDE MOVIMENTAÇÃO NA 3ª NOITE DA FESTA DAS MAROCAS 2014 EM BELO JARDIM

A programação da 3ª noite da Festa das Marocas edição 2014, teve início por volta das 16h com a programação infantil, e para manter uma das tradições da Festa das Marocas, diversas pessoas dançaram ciranda e logo após assistiram a belíssimas apresentações de quadrilhas no Festival de Quadrilhas.

Em uma noite de novatos e veteranos no Pátio de Eventos Nivaldo Jatobá, os primeiros passos foram dados no Palhoção denominado Polo da Safona, com Zé de Cidrônio, Trio Rojão e Sandro Meneses. No palco principal Nivaldo Jatobá se apresentaram o cantor belo-jardinense Helton Silva, a dupla Hélder e Rodrigo e finalizando as apresentações da 3ª noite a Banda Forró da Pegação.

No fim de 2008, foi lançada para nação forrozeira a banda Forró da Pegação com balanço inconfundível, pegada marcante, a banda tem o potencial do vocal de Pedrinho Pegação, junto com a referência de músicos que já passaram por grandes bandas de forró do Brasil.

Com um repertório diversificado e atualizado, aliando músicas próprias, com sucessos do forró e de vários gêneros musicais, o Forró da Pegação vem conquistando um enorme espaço na mídia e arrastando multidões. Vem se destacando e conquistando milhares de fãs em todos os estados do Nordeste graças ao trabalho dentro e fora dos palcos, feito pela simplicidade e um profissionalismo surpreendente.












domingo, 29 de junho de 2014

EMPREGO PUXA VOTOS PARA DILMA NO NORDESTE

A despeito do que dizem os preconceituosos de plantão, a Região Nordeste não vive apenas da transferência de renda do programa bolsa-família. No primeiro trimestre deste ano, o número de pessoas empregadas no Nordeste cresceu 4,9% em relação ao mesmo período do exercício anterior, colocando a Região como a de melhor desempenho em todo o país, com a criação de 1 milhão de postos de trabalho. 

No Sudeste, o nível de emprego cresceu apenas 0,8% (cerca de 1/3 das vagas criadas no Nordeste). Já a média nacional foi de 2%. Esta geração de empregos, bem como as medidas de transferência de renda, tem uma ligação íntima com os últimos 12 anos, época em que o PT chegou ao poder, e que devem se refletir nas eleições de outubro.

Alguns fatores ajudam a explicar o nível de crescimento do emprego em todo o Nordeste. A Região, que durante décadas padeceu com uma carência extrema de infraestrutura, de repente tem experimentado um boom na implantação de grandes obras estruturadoras que alavancaram o desempenho da construção civil. Associado a isso, o setor de serviços regional também tem apresentado um crescimento significativo. E este desempenho tem continuado a despeito do desaquecimento da economia, em especial o setor industrial do Sul e Sudeste, que além de reduzir as contratações também estão reduzindo o próprio ritmo de produção.

O crescimento do setor de serviços é explicado por uma equação bastante simples. Alijado do mercado de consumo por décadas, os programas de transferências de renda fizeram com que o nordestino pudesse ter acesso a alguns itens que até bem pouco tempo podiam ser considerados artigos de luxo. Queijo, iogurte, carne entre outros produtos, a exemplo do que acontecia em outras regiões do país, entraram no cardápio diário deste consumidor. Isso acabou fazendo com que as empresas descobrissem um novo mercado fira do saturado eixo Sul e Sudeste.

Um ponto de market share no Nordeste custa infinitamente menos que a mesma pontuação no Sul ou no Sudeste. Isso fez com que muitas empresas instalassem suas fábricas na Região o que provocou um efeito cascata em relação ao emprego. É esta força que deu mais de 10 milhões de votos de vantagem para que a presidente Dilma Rousseff (PT) fosse eleita em 2010 contra o seu principal adversário, o tucano José Serra (PSDB) que agora está sendo buscada com afinco, seja pelo PT, pelo PSDB ou PSB.

Enquanto o PT busca manter este capital político e até mesmo ampliá-lo, PSDB e PSB ressaltam que o bolsa-família não apenas será mantido como aperfeiçoado. Atualmente, cerca de 14 milhões de famílias recebem o auxílio do programa em todo o país, e boa parte está concentrada no Nordeste. A balança, porém, não dá tendências de mudanças. Apesar da alta do nível de emprego; o desemprego no Nordeste ainda é maior que o das demais regiões, chegando a 9,3% neste primeiro trimestre, contra 7,1% da média nacional.

Que o índice é alto não se discute. Mesmo assim, a presidente Dilma e o PT contam com estes dois pontos para alavancar o resultado do pleito de outubro. Se o bolsa-família abriu a porta que milhões de nordestinos deixassem a pobreza extrema, o crescimento da economia assegurou uma estabilidade para o trabalhador que até bem pouco atrás era praticamente inimaginável: ter emprego fixo com os direitos trabalhistas garantidos e uma renda mínima assegurada ao final do mês.

É esta a dificuldade que os candidatos Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB) ainda não conseguiram contornar. Embora se apresentem como algo novo, ao mesmo tempo em que afirmem que não vão mexer nas conquistas sociais e econômicas e muito menos nos programas de transferência de renda, ainda não conseguiram mudar a cabeça do eleitorado nordestino que teme perder tudo o que conquistou nos últimos anos. Neste caso, o PT leva uma vantagem sem igual sobre os adversários, já que foi sob a égide do partido que essas mudanças chegaram à Região.

Um outro ponto que deve pesar nos próximos meses é a entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha pela reeleição da presidente Dilma. Plenamente identificado com a população nordestina, o carisma de Lula em nível regional é inegável, representando uma dificuldade ainda maior para o PSB e PSDB na briga pelos votos do Nordeste.

Esta combinação de emprego e renda – além do carisma - serão o cerne das eleições regionais que, assim como em 2010, deverão ser decisivas nas eleições presidenciais de outubro.

Informa o PE247

TESTE PARA CARTEIRA DE MOTORISTA EM PE TERÁ PERGUNTAS SOBRE BICICLETAS E RESPEITO AO CICLISTA

O DETRAN-PE está promovendo a renovação do banco de questões que compõem o exame teórico para avaliação dos candidatos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A primeira etapa desta mudança acaba de ser implementada e diz respeito à inclusão de perguntas relativas a ciclistas e ao veículo bicicleta.

O objetivo desta modificação do questionário é adaptar o exame teórico do DETRAN-PE ao atual contexto de transporte multimodal, no qual a participação dos ciclistas cresce cada vez mais. Trata-se de um universo de treze questões, bordando diferentes temas presentes no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e relacionados diretamente a ciclistas e bicicletas.

Além disso, o exame teórico manterá questões indiretamente relacionadas à condução de bicicletas. No total, existem 20 artigos do CTB direta ou indiretamente relacionados aos ciclistas, além do anexo I do Código, que traz a definição legal de bicicleta e termos correlatos como bicicletário, ciclovia ciclofaixa.

Teor das questões
As perguntas dizem respeito principalmente ao papel do ciclista como ator no trânsito, ressaltando, por exemplo, que este pode se enquadrar tanto na categoria de condutor quanto na de pedestre. Isso está previsto no artigo 68 do CTB, segundo o qual “o ciclista desmontado empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre em direitos e deveres”.

Outra questão curiosa se refere à possibilidade de o ciclista ter a bicicleta recolhida se for pego pela Autoridade de Trânsito dirigindo de forma agressiva ou pedalando em cima de calçadas e passeios.

Há espaço também para indagações relativas ao papel do Poder Público na promoção da circulação segura para os ciclistas. Outro tema abordado é o comportamento dos condutores de veículos maiores com relação ao ciclista.

Questões como distância lateral de segurança e formas de ultrapassagem estão em pauta e derivam diretamente da determinação do artigo 29 do CTB, o qual prevê a obrigatoriedade dos veículos maiores de respeitar e zelar pela segurança dos menores.

Educação - A reflexão sobre os ciclistas também é estimulada pelos projetos Se ssa Rua Fosse Minha e Esta Cidade Também é Minha, voltados respectivamente para a formação de professores e alunos dos ensinos fundamental e Médio. O DETRAN aposta na ideia de que a formação teórica do candidato à CNH deve começar já na infância e continuar depois que ele obtém a CNH, levando-se em consideração que é obrigação do cidadão manter-se inteirado sobre as mudanças da legislação de trânsito.

NOS PÊNALTIS, COSTA RICA VENCE A GRÉCIA E VAI PARA AS QUARTAS DE FINAL DA COPA 2014

Num jogo que parecia que não queria acabar, a Costa Rica mostrou que quem deu as cartas na Arena Pernambuco nesta Copa do Mundo foi ela. Depois de sofrer o empate aos 45 do segundo tempo (1x1), o time centro-americano segurou as pontas na prorrogação e bateu a Grécia nos pênaltis por 5x3. Em seu segundo jogo no estádio pernambucano, os Ticos voltaram a escrever mais um capítulo de ouro em sua história futebolística. Nas quartas de final, o adversário será a Holanda, que derrotou o México por 2x1. O jogo acontece no próximo sábado (5), às 17h, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Navas salta para defender o pênalti de Gekas.
Foto: AFP
As previsões mais negativas davam conta de um jogo parado, lento e com pouca ou nenhuma emoção. Ao menos no primeiro tempo acertaram. A Costa Rica não foi o time incendiário que levou às cinzas os gigantes Uruguai e Itália. Da Grécia só se esperava retranca e contra-ataque. E eles fizeram justamente isso e, pasmem, ignoraram a esmagadora maioria pernambucana pró-latinos e teve mais organização ofensiva. Mas ainda foi pouco para tirar o 0x0.

Os Ticos começaram do jeito que o povo gostava e acostumou-se a ver na primeira estadia dos costarriquenhos na capital pernambucana: foram para cima, tentando imprimir velocidade. Mas a pilha estava fraca e durou menos de cinco minutos. Pilha fraca também para tomar a bola dos rivais, tanto de um lado como de outro. A Grécia se organizava para preencher os espaços e os adversários não pressionavam a saída de bola. Quando a tinham tocavam com velocidade quase infantil.

Com a bola sofrendo um açoite após o outro, o público, que chegou ensaiar "olés" e "Olê, olê, olê! Ticos! Ticos!", resolveu se divertir sozinho. Organizou a melhor 'olla' - aquela onda de braços criada na Copa de 1986, no México - e durante bons três minutos, os 22 jogadores foram solenemente ignorados. Só aos 36 minutos alguém fez o favor de tirar o mofo da partida. E foi o time europeu. Cholevas cruzou da esquerda e Salpingidis entrou para completar. Navas fechou o ângulo e desviou para escanteio.

E depois voltamos para as cadeiras. O punhado de gregos localizado na parte inferior à direita da tribuna de imprensa, ensaiava gritos de "Brasil" para ganhar adeptos. Os brasileiros esqueceram os ticos e, pela primeira vez, a Arena Pernambuco, ouviu o infame "Sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor", que há décadas constitui-se no solitário grito de guerra em jogo da Canarinha. O último destaque foi a bela vaia que as vozes que gritavam pelos ticos soltou ao fim do primeiro tempo.

A volta para o segundo prometia o mesmo ritmo de câmera super-lenta quando Ruiz, o camisa 10 costarrquinho, mostrou o nível de sua intimidade com as redes da Arena Pernambuco. Contra a Itália ele marcou no lado direito. Cavalheiro, fez o mesmo do lado esquerdo ao escorar uma bola rolada por Bolaños. O engraçado é que ela foi rolando lentamente pela grama até acomodar-se no canto esquerdo da barra, sem que ninguém de azul tivesse qualquer iniciativa de mudar a trajetória.

Como se tratava de um perde e volta para casa esperava-se uma Grécia finalmente abandonando a reflexão ateniense e partindo para o ataque espartano. Não teve jeito, o DNA futebolístico helênico não combina com o ataque. Foi preciso algo mais. E ele atendeu pela expulsão de Duarte, aos 21 minutos. Com um a menos a Costa Rica teve que recuar todo mundo para o seu campo. E para evitar um vazio entre ambos, a Grécia avançou suas fileiras.

E o técnico Fernando Santos deixou o time com três atacantes: Gekas, Mitroglou e Katsouranis. O problema era alguém que que alimentasse o trio. O único era o capitão Karagounis, mas bem marcado, nem sempre conseguia escapar das garras dos adversários. Quando a bola chegou ao ataque, eles provaram porque são tão bons se defendendo. Era difícil dominar a bola. Gekas o fez de canela ao receber um ótimo lançamento na linha frontal da pequena área.

Da Costa Rica pouco pôde-se dizer depois da expulsão. Campbell ficou sozinho no ataque e os outros nove atrás da linha da bola tentando induzir os gregos ao erro, artimanha que eles nem faziam muito esforço para cair. Aos 42, Lazaros arrancou pela direita e cruzou da linha de fundo. Gekas, mais uma vez, meteu a canela na bola e jogou de zagueiro.

No apagar das luzes, o que se configurava numa tragédia ganhou ares de epopeia. Aos 45 minutos, Sokratis, não quis saber dos porques filosóficos e mandou o pé direito na bola reboteada por Navas. Ninguém sabia para onde correr. Dois minutos depois, o caneludo Gekas usou a cabeça e obrigou o goleiro costarriquenho a fazer uma grande defesa. Após 89 minutos, o despertador da partida tocava. E ainda haveria mais meia hora pela frente...

PRORROGAÇÃO - Com o adversário inferiorizado numericamente e fisicamente a Grécia tomou a iniciativa na prorrogação. E optou por levantar a bola na área. Aos dez minutos, Katsouranis ficou com as migalhas de um bate-rebate e só não fez o gol da virada porque o pé salvador de Gonzalez apareceu para bloqueá-lo. Katsouranis teve que volar à sua área aos 14 para abafar um cruzamento. O segundo continuou o mesmo: Lazaros escapando pela direita para a Grécia e a Costa Rica esperando um milagre. Aos sete minutos, Lazaros teve a chance de ouro para coroar sua atuação diferente de todo time grego num contra-ataque. Mas o chute saiu fraco e Navas defendeu. Gekas, sempre ele, teve a classificação nos pés. Mas como seu forte é a cabeça, chutou prensado e a bola foi para fora. Os dois minutos de acréscimo foram constrangedores com jogadores das duas equipes pedindo o apito final. Quando ele veio, vários desabaram no gramado.

PÊNALTIS - Quem começou a disputa por pênaltis foi a torcida que fica do lado esquerdo das tribunas de imprensa. Aos gritos de "Aqui! Aqui!" Pediam que a barra 'deles' fosse escolhida. A turma do lado direito, com menos decibeis, repetiu o pedido. Apesar de pedir com menos fervor, o lado direito venceu. E o senhor Matthew Cream teve que ouvir em bom português um coro nada lisonjeiro.

Com a bola na cal a disputa ficou taco a taco até o quarto pênalti, quando Gekas tentou o canto alto direito de Navas mas mandou devagar. O goleiro espalmou e na cobrança seguinte, Umana garantiu uma inédita quarta de final para a Costa Rica por 5x3.

Ficha do jogo:

Costa Rica: Navas; Gonzalez, Duarte e Umana; Gamboa (Acosta), Borges, Tejeda (Cubero), Ruiz, Bolaños (Brenes) e Diaz; Campbell. Técnico: Jorge Luis Pinto.

Grécia: Karnezis; Torosidis, Manolas, Sokratis e Cholevas; Karagounis, Maniatis (Katsouranis) e Samaris (Mitroglou); Salpingidis (Gekas), Samaras e Lazaros. Técnico: Fernando Santos.

Local: Arena Pernambuco. Árbitro: Benjamin Williams (AUS). Assistentes: Matthew Cream (AUS) e Hakan Anaz (AUS). Gols: Ruiz, aos sete; e Sokratis, aos 45 do segundo tempo. Cartões amarelos: Samaris, Manolas, Granado, Navas e Tejeda. Expulsão: Duarte. Público: 41.242. Nos pênaltis: Costa Rica 5x3 Grécia.

Informa o NE10

EM CARUARU, PTB OFICIALIZA CANDIDATURA DE ARMANDO MONTEIRO PARA O GOVERNO DE PE

Homologado candidato do Partido Trabalhista Brasileiro ao Governo de Pernambuco, o senador Armando Monteiro Neto, em discurso na convenção estadual da sigla, realizada no município de Caruaru, no Agreste, disse que o ato pode e deve ser visto como uma nova etapa “rumo à vitória nas eleições de outubro”.

'Iniciamos uma nova etapa e não há dúvida que ganhamos a pré-campanha. Estamos vivendo um momento feliz, de renovação e de novos compromissos por Pernambuco. O estado quer ir mais longe e o nosso povo merece isso. Pernambuco tem a capacidade de ir mais longe e esse é o convite que essa aliança faz. A política é o exercício da esperança para que Pernambuco amplie suas conquistas', afirmou o petebista.

Armando ressaltou a realização da convenção em Caruaru como forma de homenagear o Interior de Pernambuco. 'O sentimento que se expressa aqui é que trouxemos a convenção para perto do coração de Pernambuco. Caruaru irradia cultura e empreendedorismo. E homenageamos os pernambucanos do Interior fazendo esse ato politico aqui”.

“A mudança já começa nessa convenção e já temos o compromisso reafirmado aqui. Chegamos até aqui pelo conjunto de companheiros que não deixaram de acreditar nesse projeto. Pernambuco quer história, quer altivez, quer independência, e é isso que nós temos para oferecer', emendou.

“Se não temos a maior coligação em termos de números de sigla, mesmo assim a nossa é a mais coerente e tem mais identidade política. A outra é o ajuntamento por esporte e lá não há identidade e só existe apenas interesse com prazo de validade. Nós vamos caminhar pela coerência e caminhar dizendo temos o apoio de Lula e Dilma, que não são nossos padrinhos, mas nossos aliados, com quem poderemos contar. A partir de agora, o jogo se faz indo para rua. Nós acreditarmos nessa proposta e entendermos que esse conjunto tem algo melhor para Pernambuco”, concluiu Armando.

COM PÊNALTI POLÊMICO, HOLANDA VIRA, ELIMINA O MÉXICO E ESTÁ NAS QUARTA DE FINAL DA COPA 2014

O México esteve muito próximo de fazer história e ir às quartas de final da Copa do Mundo, mas tudo mudou em apenas seis minutos. A Holanda, que parecia entregue, conseguiu uma virada incrível nos últimos momentos, venceu por 2 a 1 neste domingo, no Castelão, e conseguiu avançar. Huntelaar, já nos acréscimos, foi o herói da classificação holandesa ao bater o pênalti decisivo, depois que Sneijder havia deixado tudo igual aos 42 - Giovani dos Santos, no início do segundo tempo, tinha aberto o placar para os mexicanos.

Finalista em 2010, quando perdeu o título mundial para a Espanha, a Holanda não exibiu o ótimo futebol da primeira fase da Copa no Brasil - teve três vitórias -, mas contou com seus medalhões para ganhar novamente. Sneijder, sumido até então, deu sobrevida à equipe no fim do jogo. Nos acréscimos, Robben fez grande jogada e sofreu o pênalti de Rafa Márquez. Huntelaar bateu e garantiu a vitória.

Com isso, o México mantém a escrita de não ir às quartas de final desde 1986. Esta, aliás, foi a sexta vez consecutiva que a seleção caiu nas oitavas de final, como havia acontecido em 1994, 1998, 2002, 2006 e 2010. No fim, a frustração mexicana foi traduzida nas lágrimas dos jogadores.

Do outro lado, os holandeses eram só alegria por mais uma classificação às quartas de final. Agora, a equipe do técnico Louis van Gaal espera para conhecer seu adversário, que sairá do duelo entre Costa Rica e Grécia, em jogo que acontece ainda neste domingo. A Holanda entrará em campo na briga por uma vaga na semifinal no sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador.

O JOGO - O começo foi do México, que chutou a primeira com um minuto, quando Layún cortou para o meio, arriscou de longe e levou certo perigo. Aos quatro, o lateral repetiu a jogada, mas, dessa vez, pegou muito mal. A situação holandesa piorou quando o volante De Jong sentiu uma lesão e precisou ser substituído.

Layún era o homem mais perigoso do México e voltou a incomodar aos 13 minutos, quando foi à linha de fundo e cruzou à meia altura, mas a bola passou por toda a área. Aos 16, ele mesmo cruzou para Giovani dos Santos, que dominou no peito e tocou para Peralta. O passe saiu um pouco atrás e o atacante não conseguiu bater, mas encontrou Herrera, que chutou fraco, raspando a trave direita de Cillessen.

O goleiro holandês, aliás, mostrava-se inseguro e não passava nenhuma tranquilidade à defesa. Isso fez com que os mexicanos começassem a arriscar de longe, como aconteceu com Salcido aos 23 minutos. Mesmo sem jeito, Cillessen espalmou para escanteio. A primeira chance da Holanda foi sair somente aos 26, quando Van Persie foi lançado, dominou e tentou finalizar de direita, mas pegou mal.

Layún seguia sendo o desafogo do México e levava a melhor em todas as jogadas sobre Verhaegh, mas a Holanda soube consertar suas falhas e equilibrou a partida. O fim do primeiro tempo já teve o time europeu com mais posse de bola. Mas a melhor chance nos últimos minutos foi mesmo mexicana. Aos 41, Peralta recebeu e se atrapalhou ao tentar o domínio, mas a bola sobrou com Giovani dos Santos, que bateu cruzado. Desta vez, Cillessen foi bem e impediu o primeiro o gol.

Aos 45, a Holanda ainda poderia ter uma ótima chance se o árbitro Pedro Proença visse o pênalti de Rafa Márquez, em carrinho dado em Robben. O erro custaria caro aos holandeses, porque logo no início da etapa final o México abriu o placar. Aos dois minutos, Vlaar tirou de cabeça, a bola sobrou para Giovani dos Santos, que dominou no peito e enfiou o pé esquerdo no canto de Cillessen, que não alcançou.

Aos 10, o time mexicano quase ampliou novamente de fora da área, desta vez com Peralta, que arriscou de esquerda. Cillessen foi bem e agarrou. A resposta veio aos 12, quando De Vrij aproveitou escanteio da direita e finalizou na linha da pequena área. Ochoa mostrou muito reflexo e espalmou. A bola ainda tocou na trave e saiu.

O gol sofrido definitivamente acordou a Holanda, que passou a pressionar. Aos 15, Robben fez sua jogada tradicional pela direita, cortou para o meio e tocou para Sneijder. O meia bateu, a bola desviou e quase encobriu Ochoa. Naquela altura, Robben começava a tomar conta do jogo e seria o responsável por outra grande chance aos 28. Ele arrancou, desta vez cortou para direita e bateu. Novamente o goleiro mexicano impediu o gol.

Quando o resultado parecia garantido, a Holanda empatou. Após escanteio da direita, Huntelaar subiu para cabecear e a bola sobrou com Sneijder. O meia encheu o pé e estufou a rede de Ochoa aos 42 minutos. Decisivo, Robben decidiria a partida nos acréscimos. Aos 46, ele fez jogada incrível pela direita, chegou à linha de fundo e, ao cortar Rafa Márquez, foi calçado. Huntelaar foi para a bola, deslocou Ochoa e garantiu a vitória.

FICHA TÉCNICA:

HOLANDA 2 - Cillessen; Verhaegh (Depay), Vlaar, De Vrij, Blind e Kuyt; De Jong (Martins Indi), Wijnaldum e Sneijder; Robben e Van Persie (Huntelaar). Técnico: Louis Van Gaal.

MÉXICO 1 - Ochoa; Rodríguez, Rafa Márquez e Héctor Moreno (Diego Reyes); Aguilar, Salcido, Herrera, Guardado e Layún; Giovani dos Santos (Aquino) e Peralta (Chicharito Hernández). Técnico: Miguel Herrera.

GOLS - Giovani dos Santos, aos dois, Sneijder, aos 42, e Huntelaar, aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Aguilar, Rafa Márquez e Guardado (México).

ÁRBITRO - Pedro Proença (Portugal).

RENDA - Não disponível.

PÚBLICO - 58.817 torcedores

LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

Informa o NE10

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More