VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

BAIXE O APLICATIVO RADIOSNET E OUÇA A NOVA XUCURU EM TODO LUGAR; CLIQUE NA FOTO ABAIXO E SAIBA MAIS

domingo, 30 de junho de 2013

SÍTIO PALHA DE XUCURU COMEMORA FESTA DE SÃO PEDRO, O SEU PADROEIRO

A comunidade do Sítio Palha de Xucuru, pertencente ao município de Belo Jardim, realizou a tradicional Festa do seu padroeiro em homenagem a São Pedro, as festividades aconteceram desde o dia 27 e tiveram encerramento neste domingo, 30 de junho. Foram momentos de muita fé e religiosidade para as pessoas católicas da região que participou em peso das comemorações ao santo considerado o guardião das chaves do céu.

Desde a abertura da festa, na quinta-feria (27), aconteceram celebrações da palavra com as Irmãs Dorotéias até no sábado, que ainda teve o belíssimo show religioso do Grupo Jesus Pão da Vida de Belo Jardim, ao ar livre. Em seguida aconteceram apresentações culturais, também no palco da festa cedido pela prefeitura do município. Notou-se a ausência do Padre Nilson, pároco local, que por motivos superiores não pôde comparecer às festividades como estava previsto.

No domingo (30), o dia da festa começou com a alvorada festiva às 8h com a participação da filarmônica Santa Cecília de Sanharó, doada pela prefeitura daquela cidade. Ao meio-dia ocorreu o repique de sinos com salva de fogos de artifício e às 16h ocorreu a procissão com  a imagem do padroeiro percorrendo as principais vias da localidade, sendo acompanha pelos fiéis locais e visitantes de várias comunidades vizinhas, em seguida foi realizada  missa de encerramento com a celebração do Padre Jeremias, que atua em São Paulo, mas é natural do Sítio Patos de Belo Jardim e está de férias, visitando parentes e substituiu o padre Geraldo Magela da Matriz da Conceição que celebraria no lugar do Padre Nilson, o ministério "Cristo É Rei" animou a santa missa que ainda teve a ilustre visita do seminarista xucuruense, Alex Amorim.

A festa teve a brilhante organização da comunidade, com o empenho de pessoas que fazem o impossível para manter a tradição de homenagear São Pedro pela passagem do seu dia. Anteriormente, as festividades aconteciam em datas depois do dia do santo que comemora-se em 29 de junho, mas por alguns anos seguidos, vem sendo realizada na semana que culmina com dia do padroeiro.

O evento contou com o apoio da prefeitura de Belo Jardim e do vereador Claudemir de Xucuru, que sempre contribui com as festas públicas locais, inclusive, a organização da festa enfatizou o apoio oferecido pelo representante e ao mesmo tempo agradeceu a todos que fizera ma festa acontecer.

Fotos de sábado e domingo: 

































Informa a Redação.

BRASIL ACORDOU: SELEÇÃO BRASILEIRA BATE A ESPANHA E CONQUISTA A COPA DAS CONFEDERAÇÕES PELA 4ª VEZ

Nas últimas semanas, milhares de brasileiros, para não dizer milhões, foram às ruas protestar por melhorias sociais durante a Copa das Confederações. Muitos disseram que o "gigante acordou". Coincidência ou não, um outro Brasil resolver despertar no mesmo momento. Não foi para protestar ou cobrar dos nossos políticos. 

Neymar fez um dos gols da partida. Fotos: AFP
Ainda assim, nos trouxe orgulho do mesmo jeito que a nossa população. Meio que complementou o sentimento de paixão do brasileiro pelo seu País. Felipão, Fred, Neymar e companhia trouxeram de volta a alegria para o futebol nacional. Melhor jeito não poderia ter: bater a Espanha, dita melhor do mundo atualmente, por um sonoro 3x0 com direito a olé da torcida no Maracanã, palco da final da Copa das Confederações, neste domingo. Fred, duas vezes, e Neymar foram os carracos da Fúria, nem tão furiosa assim. Festa e título para o Brasil. em casa.

O JOGO - Não deu nem tempo para a Espanha começar o seu famoso jogo de toque de bola no jogo. O "tic tac" do relógio ainda marcava dois minutos de jogo quando Hulk tentou o cruzamento na grande área para Fred, que tentou a finalização. Ele falhou no lance e caiu. A bola, contudo, ficou perto dele. Foi o suficiente para que mesmo no chão ele chutasse mais uma vez, desta vez para o fundo das redes. Festa brasileira nas arquibancadas.

Depois do gol, o que se viu foi um Brasil com pegada no meio de campo, sem dar espaço para o adversário. A posse de bola continuou maior do lado da Espanha. As chances claras de marcar, porém, apareceram do lado da Canarinha. Aos sete minutos, Oscar ficou de frente para o gol na entrada da área e chutou forte. A bola foi para fora assustando Casillas, que cinco minutos depois ainda teve que impedir chute de Paulinho de longe.

Desacostumada a ser pressionada e a jogar atrás no placar, a Fúria tentou ir para o ataque ao seu estilo paciente. A falta de espaços, no entanto, não deixaram os espanhóis penetrarem na área. Coube aos europeus tentar arriscar de fora da área. Em um deles, Iniesta exigiu um pouco mais de Júlio César.

A leve melhoria espanhola não assutou os brasileiros, que seguiram marcando forte, em alguns momentos com faltas, e tocando a bola em velocidade. Aos 31 minutos, Fred quase amplicou o placar depois de contra-ataque rápido. Casillas defendeu.

A Espanha ainda tentou assustar mais uma vez aos 40 minutos com Pedro, mas David Luiz salvou em cima da linha. Era o anúncio do que estava por vir para a Fúria. Quatro minutos depois, Neymar recebeu passe preciso de Oscar e não perdoou estufando as redes de Casillas.

No segundo tempo, esperava-se uma reação dos adversários brasileiros. Ela logo foi freada por Fred, que outra vez aos dois minutos furou a meta espanhola. A taça da Copa das Confederações já falava português no Maracanã naquele momento.

O que se viu após isso foi um Espanha louca para tentar vazar a meta de Júlio César contra um Brasil calmo e ciente da sua estratégia. Poucos irão lembrar do pênalti perdido por Sergio Ramos ou da expulsão de Piqué na segunda etapa. Muitos irão lembrar das outras chances perdidas pelos atacantes brasileiros e da disposição dos atletas canarinhos. Dentro deste cenário, restou apenas aguardar o fim da partida e comemorar o o tetracampeonato da Copa das Confederações.

FICHA DA PARTIDA - BRASIL 3X0 ESPANHA

Brasil - Júlio César; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho (Hernanes) e Oscar; Hulk (Jadson), Fred (Jô) e Neymar. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Espanha - Casillas; Arbeloa (Azpilicueta), Piqué, Sérgio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Juan Mata (Navas); Iniesta, Pedro e Fernando Torres (David Villa). Técnico: Vicente Del Bosque

Copa das Confederações (final). Local: Maracanã (Rio de Janeiro). Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda). Assistentes: Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra. Gols: Fred aos dois e Neymar aos 44 minutos do primeiro tempo; Fred aos dois minutos do segundo tempo. Amarelos: Albeloa (ESP) e Sergio Ramos (ESP). vermelho: Piqué (ESP).

ITÁLIA VENCE O URUGUAI NOS PÊNALTIS E É 3º LUGAR DA COPA DA CONFEDERAÇÕES

Em alguns anos, talvez, poucas pessoas se recordarão que Uruguai e Itália terminaram a Copa das Confederações de 2013 entre os quatro melhores. Seria “apenas” a disputa do terceiro lugar, mas o jogo deste domingo, na Arena Fonte Nova, em Salvador, foi digno de uma final, uma mistura de drama e crueldade com dois times esgotados fisicamente debaixo de muito sol pelo horário ingrato. Depois do empate por 2 a 2 no tempo normal e de 30 minutos sem gol na prorrogação, Buffon pegou três pênaltis e deu a vitória à Azurra por 3 a 2.

O lendário goleiro italiano de 35 anos se redimiu depois de uma competição instável, principalmente quando falhou na derrota para o Brasil. No tempo normal, fez defesas importantes e um milagre com os pés em chute de Forlán cara a cara. Nas batidas, repetiu a dose e defendeu a cobrança do atacante do Inter. Em seguida, para salvar o erro de De Sciglio, pegou o de Cáceres e o de Gargano, assegurando o honroso terceiro lugar. O público pagante anunciado foi de 43.382, em um estádio com o gramado sofrido no final.

Celeste e Azzurra mostraram desde o início os motivos por quase terem eliminado Brasil e Espanha nas semifinais. Foram gigantes, legítimos donos de seis títulos mundiais somados. Os italianos superaram qualquer escala de esforço físico e psicológico depois de enfrentarem um duelo de 120 minutos e uma decisão por pênaltis há três dias. Sem Pirlo e tantos outros, brilharam os reservas. Astori, em falha do goleiro Muslera, e Diamanti, de falta, marcaram.

Os uruguaios não ficaram atrás no empenho para “subir ao pódio”. Estiveram sempre em desvantagem no placar e, como manda sua tradição, não desistiram em nenhum momento. Nem mesmo com o sol de quase 30 graus às 13h na Bahia. Fazer gols em italianos é rotina para Cavani, artilheiro do último Calcio, com 29. Fez logo dois para levar o time à prorrogação. Não deu nos pênaltis, no entanto.

A derrota, porém, não é problema. A Celeste mostra reação para continuar lutando por uma vaga na Copa do Mundo de 2014. O time está em quinto nas eliminatórias (iria para a repescagem) e tem pela frente quatro jogos decisivos: Peru, Colômbia, Equador e Argentina. A Itália também vai buscar a classificação no segundo semestre, mas em situação mais cômoda, liderando o Grupo B, quatro pontos acima da Bulgária.
Ah, Muslera...

Não pense em uma disputa de terceiro lugar com dois times desinteressados. Uruguai e Itália mostraram na Fonte Nova que ficar fora da decisão não foi motivo para desânimo. Em um primeiro tempo equilibrado, com nove oportunidades de gol, os italianos tiveram ligeira superioridade e contaram com a ajuda do goleiro Muslera para ficar em vantagem.

O calor de quase 30 graus ferveu os 22 jogadores, principalmente a defesa da Azzurra e o ataque da Celeste, posicionados em uma faixa de campo em que o sol não teve piedade. Talvez, por isso, a Itália começou melhor, trocando passes na sombra e ignorando o desgaste pelo duro duelo contra a Espanha na última quinta.

O sol, porém, não pode ser o culpado pelo gol de Astori, aos 23 minutos. Muslera pode. De novo. E de novo pelo alto, seu grande defeito. Assim como no lance decisivo de Paulinho contra o Brasil, a bola batida por Diamanti viajou (na sombra) e passou por cima do goleiro. Desta vez, bateu na trave, voltou no ombro dele e bateu na linha até que o zagueiro completasse.

O Uruguai teve de se desdobrar para reagir. O empate não veio, mas o time subiu de produção quando Cavani e Suárez acordaram e se movimentaram com mais frequência. O atacante do Liverpool obrigou Buffon a fazer boa defesa, enquanto o artilheiro do Napoli marcou em impedimento bem assinalado pela arbitragem.

O cansaço bateu nos minutos finais. As equipes perderam o poder de marcação e abriram o meio de campo. A Celeste foi para o intervalo revoltada com a não marcação de um pênalti depois que a bola tocou no cotovelo de Chiellini na área. Pouco antes, El Shaarawy (sim, ele jogou) só não ampliou porque Godín salvou após a bola passar por Muslera.

Terceiro lugar? Vale muito!
A troca de lado no segundo tempo claramente favoreceu o Uruguai. Sem tanto sol na cabeça dos atacantes, o time ganhou poder para envolver a defesa rival e controlar os primeiros minutos. A pressão começou, e o empate não demorou. Aos 12, em contra-ataque, o badalado setor ofensivo finalmente funcionou. Cavani recebeu de Suárez na área e tocou certeiro, no canto esquerdo de Buffon.

A Itália foi desmoronando gradativamente. A movimentação no ataque diminuiu, e o time recuou, permitindo que o Uruguai avançasse suas peças. Só Buffon não oscila. De quebra, faz milagres. Forlán chutou forte e o goleiro rebateu. No rebote, o atacante colorado soltou nova bomba e o capitão da Azzurra tirou de forma espetacular com a perna esquerda.

Gigi, como é chamado pelos companheiros, talvez, pudesse prever que aquela defesa seria o choque necessário para o time despertar. Somente seis minutos depois, os italianos aproveitaram um lance de bola parada para recuperar a vantagem. Da intermediária, Diamanti cobrou falta com perfeição por cima da barreira, no canto direito baixo. Sem chances para Muslera.

A resposta sul-americana foi tão bela e precisa quanto a batida rival. Resposta de quem está acostumado a brilhar justamente na Itália, com seus 29 pelo Napoli no último

campeonato nacional. Cavani, aos 32, chutou falta de longe. Candreva não pulou, e a bola passou exatamente por cima dele. Buffon voou, mas era tarde. Igualdade justa, e duas equipes entregues no campo, sem forças para evitar a prorrogação.

A feição dos jogadores assim que soou o apito final denunciou o esgotamento. Água na cabeça, atletas deitados no gramado, massagem nas pernas...tudo foi tentado para aliviar a dor. No reinício, o Uruguai mostrou ter mais pernas para suportar. Suárez e Chiellini arriscaram uma arrancada de dar inveja pela esquerda. O atacante pediu pênalti, ignorado pelo árbitro, e ainda levou uma bronca do zagueiro, com quem havia se estranhado no primeiro tempo.

Os últimos 15 minutos de tempo-extra foram ainda mais arrastados. Ninguém queria se arriscar. Não havia força. Montolivo ainda foi expulso ao fazer falta por trás em Suárez. O Uruguai teve o domínio, chegou a pressionar, mas o mesmo Suárez e Gargano perderam as últimas chances.

Forlán abriu a série parando nas pernas de Buffon - ele já havia desperdiçado contra o Brasil. Aquilani, Cavani, El Shaarawy e Suárez fizeram. De Sciglio errou, mas o goleiro salvou novamente nos chutes de Cáceres e Gargano. Era o dia de Gigi.

Informa o Globoesporte.com

FESTEJOS JUNINOS DE XUCURU TIVERAM ENCERRAMENTO NESTE SÁBADO

Teve encerramento neste sábado (29) a comemoração das festas juninas de Xucuru com o tradicional arraial da saúde no palhoção do povo, que foi m arcado pela distribuição de comidas típicas e refrigerantes para a população em geral. Em seguida as festividades foram na Festa de São Pedro do Sítio Palha com a apresentação do Coco de Roda local, com participação especial de Pretinha de Marcelo e Lourinho dos Correios, ainda teve o Forró pé de serra de Arlindo do Acordeon de Lajedo,PE.

Foram vários dias de festa no palhoção em Xucuru desde o dia 15 do corrente mês até este dia 29 com encerramento no Sítio Palha, uma realização da prefeitura de Belo Jardim e do vereador Claudemir. Durante as festividades aconteceram apresentações culturais como a ciranda Raiz da Mata Norte de Nazaré da Mata, PE, que participou da abertura dos festejos juninos com muita alegria que ainda teve a exibição do Coco de Roda do Sítio Palha.

Aconteceram também os arraiás tradicionais das Escolas de Xucuru e do Sítio Palha, além a festa da saúde que é outro sucesso anual nas festas juninas da localidade. Ano que vem tem mais e todos já estão convidados para festejar e prestigiar a cultura regional e o autêntico forró nas nossas festividades do mês do São João. 2014 promete, será ano da Copa do Mundo e de eleições gerais.

Fotos deste sábado no Sítio Palha:





























Informa a Redação.

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More