VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

WEB RÁDIO - NOVA XUCURU - ACESSE: www.novaxucuru.com

PROGRAMAÇÃO 24H ONLINE, DIVULGUE.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

CNT/MDA APONTA EMPATE TÉCNICO, COM DILMA À FRENTE

Com informações do BR247 -

Pesquisa CNT/MDA divulgada na manhã desta segunda-feira 20 confirma o empate técnico apontado nas mostras Datafolha e Ibope da semana passada, mas com a presidente Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente de Aécio Neves (PSDB).

A candidata à reeleição registrou 50,5% dos votos válidos, contra 49,5% do candidato tucano. Esta foi a primeira pesquisa do instituto MDA no segundo turno, portanto não há cenário de comparação com levantamentos anteriores.

Contabilizando os votos gerais, com brancos e nulos, a vantagem da petista é mesma: 45,5% das intenções de voto a Dilma, ante 44,5% a Aécio Neves. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

O instituto MDA realizou 2.002 entrevistas em 137 municípios de 25 estados no sábado 18 e no domingo 19, portanto antes do terceiro debate presidencial, exibido pela TV Record na noite deste domingo.

As pesquisas Datafolha e Ibope divulgadas na semana passada apontaram resultados idênticos entre elas, com empate técnico entre Aécio (51%) e Dilma (49%), mas com Aécio dois pontos à frente. O Datafolha divulga um novo levantamento nesta segunda-feira 20, às 18h no site da Folha de S. Paulo.

O Ibovespa acentuou a queda após a divulgação da pesquisa mostrando Dilma um ponto à frente. Leia abaixo reportagem do portal Infomoney.

Bolsa acelera queda após pesquisa com Dilma à frente

Por Ricardo Bomfim

São Paulo - Com divulgação da pesquisa CNT/MDA, mostrando a candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, numericamente à frente, o Ibovespa acelerou as perdas no pregão desta segunda-feira (20).

Investidores embolsam os lucros obtidos com a alta da sexta-feira. No momento da divulgação, o índice caiu 0,6% em cinco minutos. Às 11h25 (horário de Brasília), o Ibovespa caía 1,86% a 54.689 pontos, seguindo a tendência das bolsas europeias, que também começaram o pregão desta segunda-feira (20) em baixa.

Pesquisa CNT/MDA sobre intenção de voto para os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) foi divulgada às 11h (horário de Brasília). A candidata petista apareceu com 50,5% das intenções de voto contra 49,5% de Aécio entre votos válidos. Os dois candidatos ainda estão em empate técnico por conta da margem de erro.

Datafolha também deve sair hoje às 18h no site da Folha de S. Paulo, e mais tarde no Jornal Nacional. Ainda pode ser divulgada a pesquisa Vox Populi. Todas essas pesquisas estão no radar dos investidores e devem ditar os rumos do mercado durante a semana.

Ainda no cenário eleitoral, a repercussão do debate entre os dois candidatos à Presidência na TV Record deve ter efeitos limitados na Bolsa. Considerado mais ameno que o debate do SBT, neste último, Aécio e Dilma focaram mais em propostas por medo de uma alta da rejeição a eles por conta da agressividade mostrada nos últimos dias.

O tema mais importante do fim de semana foi a admissão pela presidente Dilma, no sábado, de que houve sim desvios na Petrobras e que ela fará o possível para ressarcir os prejuízos. Foi a primeira vez que a presidente admitiu a veracidade das informações contidas na delação premiada do ex-diretor da estatal, Paulo Roberto Costa.

No noticiário econômico, destaque para o Focus, que voltou a revisar a expectativa do crescimento do PIB para baixo. A expectativa de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014 diminuiu para 0,27%, ante 0,28% da semana anterior. Para 2015, os economistas mantiveram a projeção do PIB para 1%.

Em relação à inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em 2014, os economistas mantiveram a projeção em 6,45%, e continuou abaixo do teto da meta, enquanto para o próximo ano a projeção também se manteve em 6,30%.

Destaques As ações da Petrobras ON e PN (PETR3; PETR4) caíam 3,69% a R$ 17,81 e 3,40% a R$ 18,75, respectivamente. Bastante sujeitas ao chamado "rali eleitoral" os papéis da empresa são influenciados pelos resultados das pesquisas de hoje. Além disso, as ações ainda refletem as notícias recentes sobre o fim da defasagem entre os preços da gasolina internamente e os práticos lá fora com a queda dos preços do petróleo. Surgiram

O principal destaque negativo fica com as ações OI PN (OIBR4), que registram desvalorização de 7,20% e são cotadas a R$ 1,16. Com essa variação, a baixa acumulada desde o início do ano chega a -67,69%.

Por outro lado, o melhor desempenho fica com os papéis Ecorodovias ON (ECOR3), que são cotados a R$ 12,00 e apresentam alta de 1,44%.

LULA, O EX-TODO PODEROSO

Com informações do Blog do Magno Martins -

Lula, segundo as pesquisas, sempre apareceu como um dos políticos mais influentes em Pernambuco, mas nas últimas eleições não houve transferência de votos capaz de modificar cenários e ajudar seus candidatos. Em 2012, o ex-presidente não conseguiu eleger Humberto Costa prefeito do Recife.

E não foi por falta de publicidade. Ele esteve presente na propaganda eleitoral de Humberto na televisão e em todo o material de rua. Mesmo assim, Humberto acabou em terceiro lugar. Nas eleições deste ano, o envolvimento de Lula foi muito maior em favor do candidato da coligação que apoiou para governador.

O ex-presidente esteve em Pernambuco em duas oportunidades ao longo da campanha, gravou vários depoimentos para a televisão e o rádio, mas seu peso e sua influência não foram capazes de eleger Armando Monteiro governador nem tampouco o deputado João Paulo, candidato com o carimbo do PT, senador.

Em Pernambuco, Lula pediu ainda, na televisão, voto para os principais candidatos do PT a deputado federal, mas o eleitor varreu nas urnas as vagas de todos os petistas. Pela primeira vez, o Estado não terá um só representante do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados.

Este foi, aliás, o pior resultado para o PT, que no plano estadual só elegeu três deputados estaduais. A grosso modo, só um, a presidente estadual da legenda, Teresa Leitão, reeleita. Os outros dois – Manoel Santos e Odacy Amorim – se salvaram pelos seus méritos e por terem tido apoios importantes.

No caso de Manoel, a parceria com o prefeito de Serra Talhada, Luciano Duque, que o fez majoritário no município. Quanto a Odacy, que teve mais de 60 mil votos, pesou a injustiça do PSB contra ele, não permitindo sua candidatura à reeleição quando estava no exercício do mandato em Petrolina, assim como o apoio efetivo do prefeito Júlio Lóssio (PMDB).

RISCO – A presumível força de Lula ficará mais ainda em xeque se nas eleições do próximo domingo não conseguir reeleger a presidente Dilma. As pesquisas mostram um cenário de empate técnico, estando Aécio Neves à frente numericamente, isso levando em consideração os números do Ibope e Datafolha, porque o Sensus tem apontado o tucano com 12 pontos na dianteira.

Aprova ou desaprova? – A campanha tucana aponta em pesquisas qualitativas que o público reage mal aos ataques entre os candidatos nos debates. Mas nos bastidores, auxiliares e apoiadores reagiram exultantes aos ataques desferidos por Aécio Neves contra a presidente Dilma no SBT. Os políticos pedem bis no último debate na Globo na próxima quinta-feira.

Antecipação – Dilma poderia anunciar sua equipe econômica na eventualidade de um segundo mandato para acalmar os ânimos do mercado, segundo o jornal O Globo. A ideia divide os membros da campanha. Uns acreditam que a estratégia poderia render dividendos eleitorais na véspera da realização do segundo turno das eleições. Outros, porém, defendem que isso só ocorra após a confirmação de sua vitória nas urnas.

Vez do Nordeste – De João Lyra em defesa de Aécio: “Aécio será um grande presidente para o Nordeste. Eu acredito nas pessoas e eu acho que ele merece a nossa confiança. O que ele está se comprometendo, não só com o PSB, não só com Marina, não só com o Nordeste, mas com o Brasil'. O governador acompanhou a passagem de Aécio Neves pela Paraíba na semana passada.

Força da militância – Coordenador da campanha de Dilma em Pernambuco, o senador Humberto Costa (PT) aposta no ato que o partido fará, amanhã, no Recife, pela reeleição da presidenta. “A nossa militância vai às ruas numa grande mobilização. O Brasil não pode retroceder”, diz ele, sobre a possibilidade de Aécio ganhar a eleição.

CURTAS

PROVOCAÇÃO – Na propaganda eleitoral no rádio, o PSDB exibe uma inserção de 30 segundos, no horário nobre, na qual coloca uma sonora da presidente Dilma elogiando Aécio quando ele era governador de Minas e conclui: “Até a Dilma aprova o Aécio”.

SOLIDARIEDADE – O deputado Inocêncio Oliveira deve receber, hoje, um grande número de aliados em seu escritório na Zona Sul, prestando solidariedade pela tomada brusca do comando do PR no Estado. Já os deputados republicanos prometem recorrer à justiça.

Perguntar não ofende: O feriadão vai aumentar a abstenção na eleição presidencial do próximo domingo?

'Os pensamentos dos justos são retos, mas os conselhos dos ímpios, engano'. (Provérbios 12-5)

DILMA E AÉCIO DEIXAM TOM AGRESSIVO DE LADO EM DEBATE DA TV RECORD

Com informações do JC ONLINE -

Os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) mostraram ontem no debate da TV Record uma postura mais tranquila, bem diferente dos dois primeiros encontros televisivos do segundo turno na TV Bandeirantes e no SBT. Foram debatidos temas como sistema tributário, segurança, geração de emprego, inflação, saúde, Bolsa Família e educação. As acusações mútuas sobre conivência com a corrupção se repetiram, mas o tucano e a petista deixaram o tom agressivo de lado.

Primeira a perguntar, Dilma quis saber de Aécio o que ele achava do Simples, para os microempresários. Ao responder, o tucano agradeceu à rival pela qualidade do questionamento. Depois desse tema, assuntos discutidos em debates passados voltaram à tona. Aécio disse que o governo Dilma gastou pouco com segurança e que a expectativa de crescimento do Brasil era quase nula. Em resposta, a petista afirmou que o rival era pessimista e da turma do “quanto pior melhor”. 

A passagem de Aécio pelo governo de Minas Gerais e a comparação do governo do PT com a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também foram abordadas. Ainda no primeiro bloco, Aécio citou a Petrobras. A partir daí, o tema corrupção entrou no debate. Assim com em outras oportunidades, Dilma rebateu o adversário e lembrou casos ligados a governos do PSDB.

No segundo bloco, Aécio insistiu no tema Petrobras e ironizou a presidente. “Não é sobre corrupção, mas sobre gestão”, falou. Ele disse iria profissionalizar a administração da estatal. Na réplica, Dilma voltou a lembrar o governo FHC. “Vocês quiseram privatizar uma parte da Petrobras. Vocês não têm moral para falar da Petrobras”, respondeu. Logo os candidatos abandonaram o tema e falaram sobre incentivos aos bancos públicos, segurança e ensino profissionalizante.

O terceiro bloco seguiu a lógica propostiva e começou com uma pergunta de Dilma sobre o Enem e o acesso à universidade. Aécio respondeu dizendo que pensava em educação desde a oferta de creches à população. O tucano foi para o ataque ao acusar a presidente de não ter dado atenção ao Nordeste. “Os nordestinos não receberam uma gota d' agua da transposição”, falou, além de citar as obras da Transnordestina e sobrepreços da refinaria Abreu e Lima. Dilma se defendeu com números na área de infraestrutura e contra-atacou. “Para quem tem como maior obra do governo um centro administrativo (em MG) o senhor é muito ousado”, disse.

A postura serena dos candidatos se manteve no quarto bloco, destinado às considerações finais. Aécio e Dilma agora se encontrarão no debate da TV Globo, no dia 24.

COORDENADORA DO BOLSA-FAMÍLIA: PAI É QUEM CUIDA

Com informações do BR247 -

A advogada Luciana Oliveira, coordenadora do Bolsa-Família durante oito anos, distribuiu uma carta aberta ao candidato Aécio Neves, alegando que o PSDB não pode reivindicar a paternidade do programa. “O Bolsa Família nasceu como um projeto para vencer a pobreza. O Bolsa Escola nada foi além de remendos, em época eleitoral, de um governo que estava com a popularidade baixíssima”, diz ela. “PSDB pai… O Pai que reivindica a paternidade de seu filho na certidão, mas que só aparece “pra visita” de quatro em quatro anos, à época das eleições?”, questiona.

Seu texto foi publicado originalmente no blog de Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília. Eis um trecho:

Sr. Aécio, eu passei a integrar a equipe do Bolsa Escola (BES) em novembro de 2001, sete meses após a sua criação, e o que eu encontrei lá foi uma equipe muito determinada a fazer com que pouco dinheiro chegasse às mãos de poucas famílias. O cadastro do BES era uma vergonha: incompleto, não aceitava alterações ou atualizações cadastrais e era completamente off-line. Uma vez registradas as informações nele, elas nunca mais seriam modificadas, mesmo que uma daquelas crianças – Deus nos livre – viesse a óbito.

(...)

Naquele momento, o quadro, então, era o seguinte:
  • No Bolsa Escola (R$ 15,00 mensais pagos por criança até um limite de três, desde que tivessem entre 7 e 15 anos – educação ): 4,7 milhões de famílias beneficiárias;
  • No Bolsa Alimentação (R$ 15,00 mensais pagos por criança até um limite de três, desde que tivessem entre 0 e 6 anos – saúde): 1,6 milhão de famílias.
A verdade é que nunca houve real investimento em Programas Sociais em nosso país até ele ser dirigido por uma pessoa “do povo”. Essa é a verdade que eu vivi trabalhando pra o Governo Federal todo esse tempo. O Bolsa Escola não foi uma estratégia de combate à pobreza e muito menos de incentivo à educação no governo FHC. Nada foi além de remendos, criados às vésperas das eleições, por um governo com uma popularidade baixíssima. Poucos têm conhecimento disso, mas a alcunha de “Bolsa Esmola”, muitas vezes utilizada pelo seu partido para caracterizar o Bolsa Família, de fato, era o apelido daquele Bolsa Escola lá atrás.

Leia a íntegra aqui.

domingo, 19 de outubro de 2014

RESULTADO DA 29ª RODADA DO BRASILEIRÃO 2014

Com informações de Agências -

FLUMINENSE 4
CRICIÚMA 2

SÃO PAULO 2
BAHIA 1

GOIÁS 0
GRÊMIO 0

ATLÉTICO-MG 1
CHAPECOENSE 0

PALMEIRAS 1
SANTOS 3

ATLÉTICO-PR 2
FLAMENGO 1

INTERNACIONAL 1
CORINTHIANS 2

FIGUEIRENSE 4
CORITIBA 0

BOTAFOGO 1
SPORT 1

VITÓRIA-BA 0
CRUZEIRO 1

DEBATE MAIS DO MESMO NA RECORD, MAS AGORA SEM ATAQUES PESSOAIS

Com informações do Blog de Jamildo -

O penúltimo debate antes das eleições, nesta noite de domingo, na Record, foi marcado pela mesmice, mas sem os ataques pessoais do confronto anterior, na Band. Ou os candidatos reduziram a virulência porque pegou mal ou porque guardam trunfos para o debate na Globo, na próxima sexta-feira, enquanto saem novas pesquisa de opinião, ao longo da semana que entra.

Com um debate mais civilizado, o encontro acabou abrindo mais espaço para a apresentação de propostas, mesmo que sob o crivo crítico dos rivais.

A estatal Petrobras, em meio à denuncias de corrupção, acabou ganhando destaque no programa, mas não apenas em função dos supostos desvios em apuração.

Veja mais em instantes

EFICIENTE, SANTOS VENCE PALMEIRAS E SEGUE SONHANDO COM G-4 DO BRASILEIRÃO

Com informações do Globoesporte.com -

O Santos não deu bola para a recuperação do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. O Peixe não apresentou um futebol de encher os olhos neste domingo, no Pacaembu, mas prezou pela eficiência: aproveitou as chances que teve, venceu por 3 a 1 e acabou com o embalo do Verdão, que havia vencido seus três últimos jogos. Gabriel (2) e Geuvânio marcaram para o Santos; Henrique diminuiu. Antes da partida, um palmeirense morreu em confronto na rodovia Anchieta, que liga a Baixada Santista à capital.

Com o resultado, o Peixe se recuperou da derrota para o Criciúma, por 3 a 0, foi a 45 pontos e está em sétimo lugar na tabela do Brasileirão, cinco atrás do Atlético-MG, primeiro time acima da linha de corte da Taça Libertadores. O time da Vila Belmiro ainda sonha com uma vaga no G-4. O Verdão está em 14º, com 34 pontos, quatro à frente do Botafogo, primeiro time da zona de rebaixamento.

- O placar não poderia ser diferente pelo que produzimos. O Santos está crescendo - avisa o técnico do Peixe, Enderson Moreira.

O JOGO
O Palmeiras começou o jogo melhor, com Valdivia solto e criando boas chances. O Mago deixou Wesley e Henrique na cara do gol, mas os companheiros não conseguiram aproveitar. O primeiro bateu por cima, e o segundo foi travado por David Braz. O Santos parecia sentir o calor. Disperso, errando passes, o Peixe estava fora do jogo. Na verdade, porém, a equipe visitante se fazia de morta e acabou surpreendendo. Ao menor sinal de cochilo do Verdão, dois golpes fatais.

Aos 38, Lucas Lima acertou belo lançamento para Geuvânio, que entrou livre às costas de João Pedro, pela esquerda, e bateu cruzado, sem chances para Fernando Prass. Com o rival atordoado, o Peixe ampliou aos 41: Lucas cobrou rápido uma falta pela esquerda. Mena foi ao fundo e achou Gabriel entrando livre para marcar.  Foram as duas únicas jogadas corretas do Santos em toda a primeira etapa.

No segundo tempo, o Verdão voltou mais adiantado, com o atacante Leandro na vaga do lateral-esquerdo Juninho (Victor Luis, ala de origem que vinha atuando no meio-campo, passou para a esquerda). Com essa postura mais ofensiva, o Palmeiras deixou espaços atrás. Foi assim que o Santos chegou ao terceiro, logo a 3 minutos da etapa final. Geuvânio acertou lançamento para Gabriel, que estava em posição duvidosa. A arbitragem deixou seguir, e o garoto santista ampliou.

Após o terceiro gol, o Verdão se lançou de vez ao ataque, sempre sob o comando de Valdivia, que agradou a torcida e foi aplaudido em alguns momentos. De tanto insistir, o Verdão diminuiu, com Henrique, de cabeça, aos 41 - foi o 14º gol do atacante do Verdão, que se isola como artilheiro do Brasileirão. Faltava pouco tempo, mas a esperança verde reacendeu. Cansados, os jogadores santistas caíam no gramado com câimbras. O jogo passou a ser disputado no campo do Peixe. Aranha fez duas boas defesas em chutes de Mazinho e Mouche, mas, apesar da pressão, o Palmeiras não conseguiu buscar a reação.
- A realidade é essa e não podemos relaxar. O Palmeiras errou muito ao longo da competição e agora não pode se dar a esse luxo - lamenta o técnico Dorival Júnior.

Após o apito final, Valdivia se desentendeu com jogadores e funcionários do Santos, mas os outros jogadores não deixaram a confusão se alongar.

BRASILEIRÃO 2014: CORINTHIANS MOSTRA RAÇA E VENCE O INTERNACIONAL NO BEIRA-RIO

Com informações do Globosporte.com -

O Campeonato Brasileiro, definitivamente, tem o seu "Robin Hood". E ele é o Corinthians. Na tarde deste domingo, a vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, no Beira-Rio, com gols de Guerrero e Gil, comprovou novamente a mania do Timão de tirar pontos das equipes da parte de cima da tabela (mas tem entregado aos menores). A equipe conseguiu superar o estádio lotado e a forte pressão do Colorado - que atacou muito mais e descontou com Nilmar - para espantar um pouco a crise instalada durante a semana, com a eliminação na Copa do Brasil.

Com mais um bom resultado contra os grandes - venceu duas vezes o Cruzeiro neste Brasileirão, por exemplo -, o Alvinegro fica na quinta posição, com 49 pontos, um atrás do Atlético-MG, o quarto time no G-4. Empurrado pela torcida, o Inter foi muito ofensivo, pressionou e tentou de todas as formas furar o bloqueio do adversário, mas não conseguiu. Agora, segue no terceiro lugar, com 50 pontos, e não consegue se aproximar do líder Cruzeiro, que tem 59, após o fim da 29ª rodada.

Na próxima rodada, o Colorado viaja para enfrentar o Flamengo, na quarta, às 19h30, no Maracanã. O Corinthians cumprirá gancho de perda de mando imposto pelo STJD e jogará com o Vitória, também às 19h30 de quarta, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

O jogo
Não deu nem tempo de o Corinthians sentir a pressão do Beira-Rio lotado e do momento ruim que vive. Bastaram três minutos para o Timão abrir o placar, com Guerrero, aproveitando cruzamento de Fabio Santos. Tudo que a equipe precisava para ter tranquilidade. E, diferentemente da quarta-feira, soube segurar o adversário.

A partir do gol, o Inter foi muito mais ofensivo. Pressionou o tempo todo e dominou o jogo. Acertou a trave, teve mais posse de bola, criou e levou perigo ao gol de Cássio, que salvou o Corinthians de todas as formas. Em uma delas, se chocou com Wellington SIlva e sofreu um corte na região da orelha, ocasionando longa pausa em campo - o árbitro deu 13 minutos de acréscimo. O Colorado mostrou-se muito superior na etapa inicial.

Mas o Corinthians foi eficiente. E, em sua segunda finalização, aumentou a vantagem, aos 53 minutos, com Gil, de cabeça, após cruzamento de Jadson. Se o Inter era mais ofensivo e criativo, o Timão conseguia ser eficiente. É o que vale no futebol, e a equipe saiu para o intervalo com ótima vantagem.

- Foi o nosso plano de jogo. Conseguimos fazer dois gols e matar, que foi o que faltou na quarta-feira, contra o Atlético-MG - destacou o volante Petros.

O segundo tempo foi parecido com o primeiro - inclusive nas faltas, discussões, reclamações e cartões amarelos. O Colorado atacando e pressionando o tempo todo, e o Corinthians se segurando, tentando explorar os contra-ataques. A defesa paulista ficou bem postada e só foi vazada em lance sem querer, aos 27 minutos, no qual a bola bateu na cabeça de Gil, enganou Cássio e sobrou para Nilmar fazer seu primeiro gol após o retorno ao Inter.

Isso inflamou time e torcida. Mas não o suficiente para a virada. O Corinthians soube controlar o ímpeto do rival, se segurar e garantir a vitória que dá um pouco de tranquilidade à equipe. Aos gaúchos resta o alento da boa produção ofensiva, mas também a preocupação com os erros defensivos.

CRUZEIRO VENCE O VITÓRIA-BA E DISPARA OUTRA VEZ NA LIDERANÇA DO BRASILEIRÃO

Com informações do Globoesporte.com -

Contestado pela torcida do Cruzeiro e bancado no time titular pelo técnico Marcelo Oliveira, Dedé entrou em campo neste domingo, no Barradão, sob olhares desconfiados. Mas nada como o futebol para produzir histórias deliciosas. Em 90 minutos, o zagueiro foi de vilão a herói. Saiu de sua cabeça o gol salvador que garantiu o triunfo celeste por 1 a 0 sobre o Vitória, em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os mineiros interrompem a série de três derrotas, duas delas pela Série A e uma pela Copa do Brasil, e freiam os questionamentos ao líder do Campeonato Brasileiro.

Com mais três pontos na conta, o Cruzeiro, líder absoluto do campeonato, chega a 59 e abre sete de distância para o São Paulo, 2º colocado. Do outro lado, apesar do revés, o Vitória permanece fora da zona do rebaixamento, na 16ª colocação, com 31 pontos.

Vitória e Cruzeiro voltam a campo pelo Campeonato Brasileiro na quarta-feira. Enquanto o Rubro-Negro da Boa Terra sai para enfrentar o Corinthians na Arena Pantanal, às 19h30 (horário de Brasília), o Cruzeiro recebe, no mesmo dia e horário, o Palmeiras, no Mineirão.

Pressão celeste
O Vitória foi sufocado dentro dos seus domínios por um Cruzeiro agressivo, rápido e agudo, tal qual a equipe que todos se acostumaram a ver ao longo da temporada, mas que tinha apresentado uma queda de rendimento nos últimos jogos. Faltou, no entanto, arriscar mais em direção ao gol. Apesar do grande volume que tiveram na primeira etapa, os mineiros finalizaram apenas seis vezes – a mais perigosa delas, uma pancada de Alisson que Wilson mandou para escanteio. Dentro de casa, o Rubro-Negro adotou a estratégia de se fechar e tentar explorar os contra-ataques, mas a ausência de jogadores velozes no setor ofensivo dificultavam a missão dos baianos.

Dedé, o salvador
A saída do volante Luis Aguiar para a entrada de Marcos Junio deu a velocidade que o Vitória precisava para se lançar ao ataque e incomodar a defesa celeste. Tanto que a primeira grande chance dos baianos na partida surgiu a partir de um contra-ataque que terminou com belo chute de Dinei defendido por Fábio. 

Ainda assim, o Cruzeiro continuava senhor do jogo. Marcelo Moreno, no comando do ataque, quase faz um golaço. Alisson, pelo lado direito, infernizava a defesa rubro-negra. O gol, no entanto, saiu da cabeça de um zagueiro. Dedé, o questionado Dedé, completou cruzamento de Éverton Ribeiro e venceu o goleiro Wilson. Um gol que devolve a tranquilidade ao líder do Campeonato Brasileiro.

SPORT CEDE EM PATE AO BOTAFOGO E CHEGA À SEXTA RODADA SEGUIDA SEM VENCER NO BRASILEIRÃO

Com informações do Blog do Torcerdor -

Por pouco o Sport acabou com o jejum de cinco rodadas sem vencer, mas acabou cedendo o empate e ficou em 1×1 com o Botafogo na noite deste domingo, em Volta Redonda (RJ). A partida, válida pela 29ª rodada da Série A, foi equilibrada e começou com o Leão na frente. Aos 21 minutos do primeiro tempo, Diego Souza marcou um golaço – o segundo do meia com a camisa rubro-negra. Mas de tanto pressionar, o Fogão chegou ao empate com Wallyson na segunda etapa do jogo.

Assim como iniciou o jogo, o time rubro-negro ficou na 12ª colocação na tabela, agora com 37 pontos. Com sete pontos a menos, o alvinegro subiu duas posições e ficou na porta da zona de rebaixamento, sendo o 17º colocado. Na próxima rodada, o Sport recebe o Goiás na Ilha do Retiro. O jogo é na quarta (22), às 22h30 (horário de Brasília). No mesmo dia, o Botafogo vai ao Paraná, onde enfrenta o Coritiba.

Jogo - Apesar de ter menor posse de bola, o Sport foi mais objetivo em campo e soube se aproveitar do erro e do desespero do Botafogo para sair à frente no placar. Se era um resultado das mudanças de Eduardo Baptista ou da palestra motivadora que tiveram com o ex-comandante do Bope não se sabe, mas os rubro-negros pareciam mais concentrados do que nas últimas rodadas.

Improvisado na defesa, já que Durval estava suspenso por ter levado o terceiro cartão amarelo na competição, o volante Wendel deu conta do trabalho e conseguiu segurar o ataque alvinegro. Recuperado de lesão e recém-liberado pelo departamento médico, Rodrigo Mancha foi outro destaque do primeiro tempo, inclusive quando em menos de dois minutos de jogo mandou uma bola na trave de Jefferson – a primeira jogada de perigo do jogo.

Em menos de sessenta segundos, foi a vez do Botafogo tentar abrir o placar. Henrique Mattos acabou se distraindo na saída de bola e foi desarmado por Wallyson que avançou com velocidade pela esquerda, mas acabou chutando cruzado para fora.

Só aos 21 minutos a rede balançou no Volta Redonda. Diego Souza recebeu de Henrique Mattos pouco depois do meio-campo e avançou com velocidade, jogada de perigo típica do Camisa 87 que colocou a zaga no bolso e marcou um golaço – o segundo do meia com a camisa rubro-negra. Depois, ainda mais pressionado pela torcida, o Fogão pareceu aceitar as vaias como incentivo e pressionou a zaga leonina, mas não conseguiu chegar ao empate antes do intervalo.

Na volta para o segundo tempo, as duas equipes voltaram com a mesma formação e pegada do primeiro tempo. Ambas com velocidade e posturas mais ofensivas. Desesperado pelo empate, o Botafogo chegou a cavar dois pênaltis: um com Jobson e depois com Rogério, mas o árbitro mineiro estava bem colocado em ambas as ocasiões e não marcou.

Sem precisar de simulação, o time carioca chegou ao empate aos 14 minutos com um toque rubro-negro. Em cobrança de falta, Wallyson mandou rasteiro. Magrão ainda ia chegar na bola, mas com desvio de Patric, o goleiro rubro-negro acabou se confundindo e não alcançou – 1×1.

Ficha Técnica: Botafogo 1 x 1 Sport

Botafogo: Jefferson; Régis (Andreazzi), Dankler, Matheus Menezes, Junior Cesar; Airton (Zeballos), Gabriel, Ramírez; Rogério, Wallyson e Jobson. Técnico: Vagner Mancini.

Sport: Magrão; Patric, Henrique Mattos, Wendel e Renê; Ronaldo, Rodrigo Mancha (Rithely), Ibson (Zé Mário) e Diego Souza; Felipe Azevedo (Érico Júnior) e Ananias. Técnico: Eduardo Baptista.

Campeonato Brasileiro (Série B) – 29ª rodada. Estádio: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ). Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG). Assistentes: Márcio Eustaquio Santiago e Celso Luiz da Silva (ambos de MG).
Gols: Diego Souza (21’/1ºT) e Wallysson (14’/2ºT)
Cartão amarelo: Ananias (45’/2ºT)
Público: 3.059
Renda: R$ 33.490

AÉCIO E DILMA: CARA A CARA PELA TERCEIRA VEZ, NESTE DOMINGO NA REDE RECORD

Com informações do DIÁRIO DE PE -

Na noite deste domingo (19), os brasileiros terão mais uma oportunidade de comparar as propostas dos candidatos à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), que disputa a reeleição. A partir das 22h15 (pelo horário de verão), a TV Clube/Record transmite o terceiro debate entre os presidenciáveis neste segundo turno.  O formato do evento foi planejado de forma que os dois tenham o maior tempo possível para expor suas ideias.

Serão quatro blocos, todos com confronto direto. Não haverá sorteio de perguntas ou perguntas realizadas por jornalistas. Ao todo, cada candidato fará sete perguntas para o adversário, sendo quatro no primeiro bloco, dois no segundo e uma no terceiro. O quarto bloco será reservado para as considerações finais de cada um.

Os postulantes terão 45 segundos para fazer os questionamentos. A resposta deve ser dada em até dois minutos. O tempo máximo para a réplica e a tréplica será de um minuto. Já nas considerações finais, Dilma e Aécio terão dois minutos para passarem suas mensagens aos eleitores.  No estúdio, estarão presentes, além dos candidatos, os jornalistas da TV Clube/Record, Adriana Araújo e Celso Freitas, que mediarão o confronto. Cada equipe de campanha poderá levar 40 representantes.

Diante de um cenário eleitoral apertado, com Dilma e Aécio tecnicamente empatados, segundo as últimas pesquisas divulgadas, os debates são oportunidades para os adversários conquistarem os eleitores que ainda estão indecisos. De acordo com o cientista político da Universidade de Brasília (UNB), Leonardo Barreto, o eleitorado que pode mudar de voto pode ser muito maior que os levantamentos apresentam.

“Cerca de 25% dos eleitores estão em jogo, já que muitos deles estão submetidos ao que chamamos de pressões cruzadas. Por exemplo, há pessoas que querem votar em Dilma, mas vêem uma quebra de confiança quando analisam as denúncias de corrupção da Petrobras”, explicou.

Na avaliação do cientista, os debates eleitorais, no pleito deste ano, assumiram uma característica diferente em relação a outros anos. “Nunca vimos os candidatos agindo de maneira contundente e forte como agora”, disse, referindo-se ao nível de ataques registrados nos embates do segundo turno.  “Não há dúvidas de que os debates vão ser a arena privilegiada, onde Dilma e Aécio vão trocar acusações, visando atingir essa parcela significativa da população.”

Apesar de reconhecer que a estratégia utilizada pela campanha do PT é a da desconstrução da imagem do adversário perante a sociedade, Barreto afirma que o foco em ataques não é benéfico para os eleitores. “Nesse sentido, os eleitores acabam não escolhendo os melhores candidatos, mas aqueles que possuem maior desenvoltura. Acredito que isso mancha a campanha num momento decisivo, em que uma decisão de extrema importância será tomada daqui a uma semana”, pontuou.

INSCRIÇÕES PARA VESTIBULAR DO IFPE TERMINAM NESTE DOMINGO

Com informações do G1 PE -

Terminam neste domingo (19) as inscrições para o vestibular do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). São oferecidas 5.247 vagas em cursos técnicos e superiores e a taxa pode ser paga até segunda (20), nas agências do Banco do Brasil.

A inscrição é feita apenas pela internet, neste site. É cobrada uma taxa de R$ 20 dos candidatos aos cursos técnicos e R$ 40 dos que farão cursos superiores. Candidatos que solicitaram a isenção da taxa devem acessar o site do IFPE para realizar a inscrição. A lista dos contemplados já foi divulgada pela Comissão do Vestibular.

As vagas estão distribuídas em 15 campus espalhados em 21 cidades, além dos polos de Educação a Distância. Metade delas é oferecida pelo sistema de cotas e reservada para candidatos oriundos da rede pública de ensino. Há também opções de subcotas de rendas que poderão ser escolhidas pelos candidatos.
O vestibular está marcado para 23 de novembro. São 30 questões para os candidatos aos cursos técnicos - dez de português, dez de matemática e outras dez de conhecimentos gerais.

Para os cursos superiores há a redação e mais 50 questões - língua portuguesa, língua estrangeira, matemática, física, química, biologia, história e geografia. O listão dos aprovados deve sair em 15 de dezembro.

sábado, 18 de outubro de 2014

SÉRIE B: NÁUTICO GARANTE EMPATE DIANTE DO SAMPAIO CORRÊA

Com informações do Blog do Torcedor -

Tornando ainda mais difícil a missão de conquistar uma vaga entre os quatro primeiros colocados da Série B, o Náutico saiu atrás no placar na tarde deste sábado pelo Sampaio Corrêa, mas alcançou o empate. O placar foi de 1×1, mas os alvirrubros por pouco não saíram em desvantagem, graças a Júlio César. O goleiro fez, pelo menos, quatro defesas de destaque durante a partida e salvou o Timbu de ter levado mais gols.

O Tricolor de Aço foi o primeiro a balançar as redes, ainda no primeiro tempo, com Mimica. O jogador aproveitou o deslize da zaga pernambucana e marcou seu primeiro gol pelo Tubarão. Só na segunda etapa o Náutico empatou o jogo – aos 23 minutos, com Paulinho. Com o resultado, o Náutico permanece na sexta posição com 45 pontos. Com um ponto a menos, o Sampaio é o nono.

JOGO - O Sampaio Corrêa fez jus à condição de mandante nos primeiros 45 minutos e dominou a partida. Só nos primeiros quinze minutos de jogo teve, inclusive, maior posse de bola – 63,4% contra 36,6% do Náutico. Era também mais ofensivo, enquanto o Timbu, tímido em campo, apenas tentava segurar o ataque e esperava por oportunidades para contra-atacar.

Mas as chegadas de Pimentinha pelo lado direito complicaram a vida dos alvirrubros. O jogador não chegou a balançar as redes, mas arrancava do meio-campo com frequência e dava trabalho à zaga adversária. Com doze minutos de jogo, o Sampaio abriu o placar – mais pela inércia da defesa alvirrubra do que por qualidade do ataque do Tubarão. Depois de cobrança de Gilton, Edimar desviou e Mimica marcou de cabeça o primeiro gol com a camisa do Tricolor de Aço, enquanto Renato Chaves só olhou.

Com o time da casa na frente, o visitante se tornou ainda mais ineficiente em campo. Finalizou apenas duas vezes, mesmo com três atacantes em campo. Bruno Furlán recuava a todo instante para recompor o meio-campo. Além disso, Crislan parecia perdido em campo e tomou o terceiro cartão amarelo na competição por lance bobo.

No segundo tempo, o técnico Dado Cavalcanti fez uma alteração no setor ofensivo, mas permaneceu com três atacantes e querendo velocidade. Assim, recuperado de lesão, Marinho substituiu Crislan. Não necessariamente pela mudança, o Náutico voltou a campo disposto a empatar e já partiu para o ataque com menos de um minuto.

Ainda que Pimentinha continuasse dando trabalho a William Alves na área alvirrubra, o Náutico conseguia trocar passes com mais eficiência e, consequentemente, chegava com mais frequência ao ataque. Foi assim que Paulinho aproveitou o rebote na entrada da área e marcou seu quarto gol pelo Náutico, deixando tudo igual no Castelão. Depois, o Timbu pressionou mais, mas não conseguiu a virada.

Ficha Técnica: Sampaio Corrêa 1 x 1 Náutico

Sampaio Corrêa: Rodrigo Ramos; Tote, Mimica, Edimar e Gilton; Jonas, Uillian Corrêa, Marino (Cleitinho) e Cascata (Márcio Diogo); Pimentinha e Willian Paulista (Siloé). Técnico: Jorge D’Lorenzi (interino).

Náutico: Júlio César; Neilson, Renato Chaves, William Alves e Raí; João Ananias, Paulinho e Vinicius (Cañete); Sassá, Bruno Furlan (Marcos Vinicius) e Crislan (Marinho). Técnico: Dado Cavalcanti.

Campeonato Brasileiro – Série B (30ª rodada). Estádio: Castelão, em São Luís (MA). Sábado (18), às 16h10. Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR). Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Jander Rodrigues Lopes (AM).

Cartões amarelos: Crislan (47’1ºT), Sassá (16’/2ºT), Uilliam Corrêa (16’/2ºT), Jonas (17’/2ºT), Cañete (39’2ºT)

Gols: Mimica (12’/1ºT) e Paulinho (23’/2ºT)
Público: 17.517 torcedores
Renda: R$ 209.045,00

SANTA CRUZ REAGE, VENCE O VASCO E RESPIRA NA SÉRIE B

Com informações do Blog do Torcedor -

Depois de ver a equipe fazer greve na última quinta-feira por conta dos salários atrasados, era natural que o torcedor estivesse desconfiado com a postura dos jogadores do Santa Cruz contra o Vasco, neste sábado, na Arena Pernambuco. Só que dentro de campo os atletas corais demonstraram que estão comprometidos com o clube. 

Porque nada melhor do que bater o Vasco para espantar de vez a desconfiança e dar uma resposta ao torcedor. Se o Tricolor precisava de tranquilidade depois de uma semana pesada, encontrou com a vitória de 1×0 no duelo válido pela 30ª rodada da Série B. Além disso, vale destacar o atacante Cassiano, autor do único gol da partida. Foi a primeira vez que ele marcou depois da lesão no joelho que o deixou afastado por seis meses.

A vitória obviamente traz confiança ao elenco coral, que fica mais próximo do G4 da Segundona – Santa é o sétimo com 45 pontos. Já o Vasco, terá que assimilar a derrota na terceira colocação com 54. Na próxima rodada, os corais enfrentam o Ceará, fora de casa, enquanto os vascaínos duelam com o América-RN, mais uma vez fora de casa.

O JOGO - Apesar da vitória tricolor, os erros foram uma constância nos 90 minutos do confronto entre pernambucanos e cariocas. Isso porque as duas equipes abusaram das falhas, principalmente na hora de finalizar. O Santa teve um predomínio no primeiro tempo, mas vacilou quando precisava definir. De nada adiantou envolver o adversário com movimentação e velocidade se o lance não levava perigo para o goleiro Martín Silva.

No lado do Vasco os erros foram não só de finalizações, mas de postura em muitos momentos, quando os alvinegros ficaram atrás e deixaram o adversário tocar a bola. Esse cenário foi alterado com a entrada de Maxi Rodríguez no time. Ele se tornou o principal articulador das jogadas de ataque da equipe cruz-maltina no segundo tempo e deixou os companheiros na cara de abrir o placar em no mínimo duas oportunidades.

Só que mesmo com a melhora, e domínio, em campo, o Vasco não conseguiu chegar ao gol. Muito porque o goleiro Tiago Cardoso estava em grande tarde. As mãos dele foram fundamentais para garantir o êxito. Quando o Santa Cruz pareceu fraquejar no gramado, Tiago apareceu como pilar e impediu o pior em diversas oportunidades.

Os desperdícios dos cariocas no segundo tempo custaram caro no fim das contas. Mesmo sem o ímpeto da primeira etapa, o Tricolor conseguiu chegar ao gol. Aos 40 minutos, Cassiano foi lançado por Renatinho, limpou o lance e mandou para as redes. Um misto de alívio para os torcedores e emoção para o jogador, que ficou seis meses afastado por conta de lesão. Agora o Santa se apega à confiança que a vitória dá para poder buscar o G4 da Segundona.

FICHA DA PARTIDA – SANTA CRUZ 1X0 VASCO

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Tony, Alemão, Rena Fonseca e Tiago Costa; Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires (Cassiano) e Wescley (Renatinho); Keno (Aílton) e Léo Gamalho. Técnico: Oliveira Canindé.

Vasco: Martin Silva, Diego Renan, Rodrigo, Douglas Silva e Marlon; Guiñazu, Fabrício (Maxi Rodriguez), Pedro Ken e Douglas (Montoya); Edmilson (Dakson) e Thalles. Técnico: Joel Santana.

Série B (30ª rodada). Local: Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata (PE). Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS). Auxiliares: Rafael da Silva Alves e José Eduardo Calza (ambos do RS). Gols: Cassiano (SC) aos 40 minutos do segundo tempo. Amarelos: Sandro Manoel (SC), Fabrício (V), Marlon (V) e Guiñazu (V). Público: 24.283. Renda: R$ 592.368.

BRASILEIRÃO 2014: EM JOGO DE SEIS GOLS, FLUMINENSE GOLEIA O CRICIÚMA

Com informações do Globoesporte.com -

O peso e a insatisfação por não jogar ficaram de lado. Neste sábado, Walter chamou a atenção pelo bom futebol e voltou a sorrir, após um mês e meio fora do Fluminense por opção do treinador Cristóvão Borges. Foi titular e fundamental na vitória do Tricolor por 4 a 2 diante do Criciúma, no Maracanã, pela 29ª rodada do Brasileirão. Partida na qual brilharam também Wagner, autor de dois gols, Conca e Fred, que anotaram um tento cada. O Tigre pagou o pato pela inspiração do quarteto e terminará mais uma rodada na zona do rebaixamento. O público pagante foi de 11.214 torcedores (13.472 presentes), com renda de R$ 310.005,00.

- Eu me senti bem. Lógico que a gente perde um pouco por ficar tanto tempo sem jogar. Foi uma surpesa atuar nesse jogo, não esperava. Não vinha entrando, mas futebol dá muitas voltas. Veio essa chance e eu não podia ir mal. Ajudei da melhor forma possível - disse Walter, que havia disputado sua última partida no dia 3 de setembro e atuou na vaga de Cícero.

O resultado alivia o clima nas Laranjeiras, pesado após três rodadas sem vitória. O Flu chega aos 45 pontos e volta a encostar no G-4, em sétimo. Na quarta-feira, irá enfrentar o Santos, na Vila Belmiro, às 22h, sem dois titulares: Bruno e Fred, que receberam o terceiro cartão amarelo neste sábado.

O Criciúma, por sua vez, se mantém com 30 pontos, em 18º lugar, e pode terminar a rodada na lanterna caso Botafogo e Coritiba ao menos empatem seus jogos neste domingo. A equipe, que teve gol de Rodrigo Souza mal anulado quando o jogo deste sábado estava ainda 0 a 0, tentará a reabilitação em casa na próxima quarta. Às 19h30, receberá no Herberto Hülse o Atlético-PR.

Etapa de polêmicas
Após pouco mais de meia hora de jogo sem graça, o primeiro tempo começou a valer no Maracanã a partir dos 32 minutos, quando o Criciúma teve seu gol mal anulado. Após escanteio na área do Flu, Rodrigo Souza marcou de cabeça. O árbitro Marcelo Aparecido de Souza, em um primeiro momento, deu a impressão de ter validado o lance, mas depois voltou atrás, alegando falta. Cinco minutos depois, foi a vez de o Tricolor reclamar, quando Fred foi deslocado na área ao tentar cabecear. O pênalti não foi marcado. No fim, nova igualdade em uma etapa equilibrada: de cabeça, Rodrigo Alves abriu o placar para o Tigre aos 44 após falta cobrada por Lucca. Wagner, com oportunismo na segunda trave, empatou nos acréscimos depois de cruzamento de Walter.

Início arrasador
O Flu iniciou o segundo tempo avassalador. Em 10 minutos, marcou dois gols: aos 2, com Wagner, em chute forte do meio da área após boa jogada de ataque envolvendo Walter e Fred. Depois, aos 10, Conca aproveitou rebote em chute de Walter e ampliou. A impressão era de que o duelo estava liquidado, mas o Criciúma deu emoção ao diminuir aos 23 com Lucca, em bonita jogada individual. Os catarinenses esboçaram uma pressão, cruzando muitas bolas na área, mas os cariocas mataram de vez o duelo com Fred. Aos 39, o capitão tricolor cobrou pênalti que ele mesmo sofreu e ocasionou a expulsão de Rodrigo Souza. Bola de um lado, goleiro do outro.

MEGA-SENA ACUMULA, E PRÊMIO PODE CHEGAR A R$ 50 MILHÕES NA QUARTA-FEIRA (22)

Com informações do G1 -

Ninguém acertou as seis dezenas sorteadas no concurso 1.645 da Mega-Sena realizado neste sábado (18), em Natividade da Serra (SP). No próximo sorteio, que vai acontecer na quarta-feira (22) a previsão é que o prêmio chegue a R$ 50 milhões.

Veja as dezenas: 08 - 18 - 21 - 31 - 37 - 38.

A quina teve 137 acertadores e cada um vai levar R$ 29.198,03. Já a quadra pagará R$ 680,29 para cada um de seus 8.400 ganhadores.

Para apostar
A Caixa Econômica Federal faz os sorteios da Mega-Sena duas vezes por semana, às quartas-feiras e aos sábados. As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 2,50.

SÃO PAULO SUPERA CANSAÇO, VENCE O BAHIA E VOLTA À VICE-LIDERANÇA DO BRASILEIRÃO

Com informações do Globoesporte.com -

O São Paulo superou o cansaço da viagem ao Chile e o pouco tempo de preparo para o jogo contra o Bahia, neste sábado, no Morumbi, com a qualidade técnica de seus jogadores. Comandado por Kaká, e com Ganso e Rogério Ceni acertando chutes certeiros, o Tricolor paulista bateu o time baiano por 2 a 1, em duelo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Fahel descontou para os visitantes.

Neste domingo, o tricolores terão de secar concorrentes. Com a vitória, o São Paulo foi a 52 pontos e assumiu momentaneamente a vice-liderança do Brasileirão. Precisará  torcer para o Internacional, que tem 50, não vencer o Corinthians, neste domingo, em Porto Alegre. O Crruzeiro, que lidera com 56, joga neste domingo contra o Vitória, em Salvador. O Bahia, com 30, segue na zona de rebaixamento, pode ser ultrapassado por Coritiba e Botafogo e terminar a rodada na penúltima colocação.

O jogo
Os dois times times tiveram uma semana complicada, com jogos no exterior pela Copa Sul-Americana. O São Paulo colocou em campo neste sábado a base que atuou contra o Huachipato, no Chile, quarta-feira. O Bahia, por outro lado, trocou seis jogadores que atuaram contra o Cesar Vallejo, no Peru, também na quarta. Por isso, o time de Salvador teve muito mais perna para correr e marcar bem os donos da casa, que, apesar de terem mais a bola, tiveram dificuldades para criar jogadas.

Como estava difícil para chegar tocando, o São Paulo apelou para a bola parada. O primeiro tempo se encaminhava para o fim, quando, aos 39, Ganso tentou chute. A bola bateu na mão de Rafael Miranda, e a arbitragem assinalou falta na entrada da área; para Rogério Ceni, quase um pênalti. O capitão acertou cobrança perfeita. Marcelo Lomba se esticou todo, chegou a encostar na bola, mas não o suficiente para evitar o gol de número 123 do goleiro são-paulino.

O segundo tempo foi melhor, com o Bahia tentando se soltar, mas deixando espaços para os contra-ataques do São Paulo. O time de Salvador ameaçou o gol de Rogério Ceni duas vezes, mas o goleiro conseguiu segurar. Com mais qualidade e campo para jogar, os meias são-paulinos foram criando chances. Luis Fabiano, que entrou no lugar de Kardec, perdeu um gol feito após jogada de Alvaro Pereira pela esquerda. Aos 33, Ganso mostrou ao atacante como se faz: recebeu pela meia direita, avançou, percebeu o canto esquerdo de Marcelo Lomba aberto e acertou chute milimétrico, ampliando o placar.

O Bahia se lançou de vez para o ataque e conseguiu diminuir, com Fahel completando de cabeça cruzamento da direita, aos 42, mas não teve forças para o empate. Melhor para o São Paulo, que volta a ganhar confiança na caça ao líder Cruzeiro.

COM O BRASIL RACHADO, INDECISOS DEFINEM O FUTURO

Com informações do BR247-

Todos os dias na longa, surpreendente e espetacular campanha presidencial que se encerra no domingo 26 as diferenças entre PT e PSDB ficaram claras. A base ideológica, a escola econômica e os compromissos de classe que separam os dois partidos se afastaram mais do que nunca e, ainda assim, a eleição vai ser decidida nos detalhes. 

Nos próximos nove dias, a partir de sábado 18, a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves estarão aproveitando os ventos finais de uma corrida em tudo parelha. O bate-rebate foi o jogo escolhido na semana anterior à decisiva, e sem dúvida será a tônica do que virá pela frente até o freio de 48 horas para a reflexão do eleitor. Naquelas últimas horas, apontam as pesquisas, estará sendo escolhido o vencedor final. Afinal, os levantamentos sobre o modo de escolha dos brasileiros no primeiro turno deste 2014 apontaram que 6% definiram na véspera em quem iriam votar – e, importante, 9% se decidiram no próprio domingo, literalmente a caminho e diante da urna. Como o pagamento de impostos: na última hora.

A cristalização da definição eleitoral, por outro lado, se manifestou em muitos números das principais pesquisas. À medida em que Aécio e Dilma  consolidaram uma situação de empate técnico, com 51% contra 49% pelo Datafolha da quinta-feira 16, o número de indecisos se manteve estável. Um indicador de que só haverá resultante na cabeça do contingente que decidirá a eleição, sobre tudo o que se viu e ouviu, na undécima hora.

Pelos placares apertados de Ibope e Datafolha, e considerando os resultados de primeiro turno, nesta eleição polarizada é certo dizer que a decisão estará nas mãos dos últimos indecisos. 

No sangrento debate da quinta-feira 16, Aécio deixou o ringue com Dilma em situação de nocaute técnico. Menos a ver com a queda glicêmica que a presidente apresentou – ela que, nitidamente, expressava cansaço e lentidão de raciocínio diante do traquejo parlamentar de vida inteira do senador -, e mais em razão de perguntas que ele desferiu e que ficaram sem respostas dela. Exemplo: Dilma já disse, mais de uma vez, que não governa pela mídia, em cima das informações que são publicadas, especialmente denúncias de corrupção. 

- Não vou dar à imprensa o poder que ela não tem, definiu-se Dilma sobre a relação.

Mas no debate nos estúdios do SBT, a presidente simplesmente ficou calada quando Aécio a questionou sobre falta de providências administrativas contra acusados de corrupção na delação premiada de Paulo Roberto Costa e Alberto Yousseff. Ela tem a resposta que acha a mais adequada, mas não a concedeu ali. Foi um detalhe que a presidente, nas condições daquele encontro, deixou passar. 

Porém, também por detalhes muitos eleitores – ou, precisamente, muitas mulheres eleitoras também se sentiram atingidas pelo tom inquisitório que Aécio usou contra a presidente, chamada várias vezes de ‘mentirosa’. Levantamentos dos dois partidos detectaram que o excesso de ênfase pode ter levado Aécio a ultrapassar o ponto máximo e passado, então, a perder pontos. Ele teria sido visto como grosseiro contra a figura da presidente.

Na sexta-feira 17, ao lado de Marina Silva, o próprio Aécio resolveu corrigir sua rota:

- Eu lamento profundamente o tom do debate, eu quero propor ideias, amenizou.

A considerar que o tucano venceu o segundo debate, pode-se avaliar que a presidente se saiu melhor no primeiro encontro, realizado pela Rede Bandeirantes. 

Na sexta-feira 24, Dilma e Aécio tem encontro marcado nos estúdios da Record e da Rede Globo. Este será o último confronto. Não houve consenso sobre a participação de jornalistas da emissora com a realização de perguntas – e só haverá trocas de palavras entre os contendores. Um detalhe, e toda a campanha poderá se definir.

Já neste domingo 19, a pauta para o correr da última semana da campanha será dada pelo debate organizado pela Rede Record. As interrogações já estão no ar: Dilma irá se recuperar, Aécio se manterá no ataque, haverá rancor ou protocolo no enfrentamento?

Na estratégia de rua de PT e de PSDB, também a luta está igual. Pode-se gostar ou não, mas as regiões Norte e Nordeste vão se mostrando como redutos do PT e de Dilma, enquanto o Sudeste e o Sul dão mais densidade à Aécio. Dentro desses grandes campos regionais, as campanhas se movimentam intensamente nos chamados Estados mais populosos. 

Dilma ficou com os dois candidatos a governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão e Marcelo Crivella, como que trabalhando para ela no terceiro eleitorado do País. Nenhum deles admitiu apoio a Aécio. Em compensação, o tucano ficou com o apoio da família de Eduardo Campos, em Pernambuco, que teve peso para virar a eleição para governador no Estado. No Rio Grande do Sul, a virada de José Ivo Sartori, do PMDB, de força para Aécio, mas o governador Tarso Genro não desistirá da luta antes do final, em benefício de Dilma. 

São Paulo e Minas Gerais, mais uma vez, são estratégicos. O PT centrou boa parte de sua campanha de segundo turno na informação de que Aécio perdeu as eleições em seu Estado natal. E terá de manter ou ampliar a diferença para fazer Dilma reeleita.

Em São Paulo, o PT colheu sua principal surpresa negativa no primeiro turno. Dilma perdeu para Aécio por uma diferença de 3,5 milhões de votos. O partido tratou de reforçar o chamamento à militância para evitar que uma nova derrota por grande diferença se repita.

Por mais que tenha recolhido apoios entre partidos e políticos, como o PSC, o PV, o PSB e a família Campos, Aécio não abriu a frente confortável que gostaria sobre Dilma. Ele lidera os levantamentos de institutos como o Paraná e o Census, mas o empate técnico apurado pelos maiores Datafolha e Ibope é o dado mais aceitável pelas campanhas. 

Depois de um momento de dúvida, o PSDB resolveu apostar em Marina como grande aliada. No seguinte ao debate do SBT, Aécio apareceu ao lado da ex-candidata do PSB, que estava esfuziante e de muito bom humor. Ela pregará por Aécio, numa tentativa de reunir a grande maioria de sua herança de votos na conta dele. O desgarramento de boa parte do rebanho dela é apontado como fator decisivo para o quadro de empate técnico.

A esta altura, com todas as atenções voltadas para a presidente e o senador, qualquer fato novo poderá ser decisivo. Pelo histórico da campanha, repleta de surpresas e marcada pelo inusitado, e os longos dias pela frente até o domingo 26, tudo ainda está por acontecer. 

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More