WEB RÁDIO NOVA XUCURU - AO VIVO - RADIONOVAXUCURU.COM.BR

VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

BAIXE O APLICATIVO RADIOSNET E OUÇA A NOVA XUCURU EM TODO LUGAR; CLIQUE NA FOTO ABAIXO E SAIBA MAIS

domingo, 30 de setembro de 2018

Brasil pode perder certificado de eliminação do sarampo, alerta Opas

A informação vem da Agência Brasil -

O Brasil tem até fevereiro de 2019 para reverter os surtos de sarampo registrados em diversas áreas do país – sob pena de perder o certificado de eliminação da doença, concedido pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) em 2016. O alerta foi feito pela assessora regional de Imunizações da entidade, Lúcia Helena de Oliveira, durante a 20ª Jornada Nacional de Imunizações, no Rio de Janeiro.

Dados do Ministério da Saúde mostram que, até 24 de setembro, foram confirmados 1.766 casos de sarampo, dos quais 1.367 no Amazonas e 325 em Roraima.

Há ainda, segundo a pasta, quase 8 mil casos em investigação em ambos os estados, além de casos isolados em São Paulo (3), no Rio de Janeiro (18), no Rio Grande do Sul (29), em Rondônia (2), em Pernambuco (4), no Pará (14) e em Sergipe (4).

Lúcia Helena de Oliveira lembrou que a Venezuela, de onde veio a cepa de sarampo identificada no Brasil, perdeu seu certificado de eliminação em junho deste ano.

Contra o tempo
O critério adotado pela Opas para conferir transmissão sustentada é que o surto se mantenha por um período superior a 12 meses. As autoridades sanitárias brasileiras, portanto, correm contra o tempo, já que os primeiros casos da doença no Norte do país foram identificados no início do ano.

“Sabemos que os casos no Brasil são de importação, lamentavelmente, pelas condições de saúde em que vive a Venezuela. Mas só estamos tendo casos de sarampo no Brasil porque não tínhamos cobertura de vacinação adequada. Se tivéssemos, esses casos viriam até aqui e não produziriam nenhum tipo de surto”, destacou a assessora da Opas.

Atualmente cerca de 4,4 mil municípios atingiram a meta de vacinação estipulada por meio de campanha, o que representa que aproximadamente 1,3 mil cidades permanecem com coberturas vacinais que deixam a desejar.

“As importações continuarão sendo uma ameaça permanente. A única forma de evitar a disseminação do vírus é obtendo coberturas vacinais acima de 95% em todos os municípios – não somente em nível de país”, ressaltou Lúcia Helena Oliveira.

Imagem: Arquivo/Agência Brasil

Eleições mudam o início do horário de verão

A informação vem da Agência Brasil -

As eleições vão causar mudanças até no cronograma do horário de verão. Tradicionalmente, o início é a partir da meia-noite do terceiro domingo de outubro, mas neste ano foi adiado para dia 4 de novembro - primeiro domingo após o segundo turno. Com 15 dias a menos, o novo horário durará cerca de três meses, até o dia 6 de fevereiro de 2019.

No entanto, é possível que essa data ainda sofra modificações. O Ministério da Educação (MEC) solicitou ao presidente Michel Temer o adiamento do início do horário de verão em razão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A avaliação do MEC é que a alteração no horário poderia gerar confusão, fazendo com que candidatos possam perder o exame devido à alteração no horário.

Alterações
A decisão de adiar o início do horário de verão ocorreu no final de 2017, quando Temer atendeu a um pedido do ministro Gilmar Mendes, então presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e assinou um decreto para reduzir o período com o objetivo de evitar conflitos com as eleições.

A expectativa é que a medida dê mais agilidade à apuração dos votos, pois a diferença máxima de fuso horário em relação a Brasília, também durante o segundo turno das eleições, continuará sendo de duas horas e não de três horas, como ocorre a partir da entrada em vigor do horário de verão.

Outro reflexo da medida deve ser percebido na divulgação dos resultados parciais da votação para presidente da República, que só pode começar após a conclusão da votação em todo país.

Estados
Neste ano, municípios do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná, de São Paulo, do Rio de Janeiro, Espírito Santo, de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e do Distrito Federal adiantam em uma hora o relógio.

O leste do Amazonas, Roraima e Rondônia deixam o relógio atrasado em duas horas em relação a Brasília, enquanto Acre e parte oeste do Amazonas atrasam o relógio em três horas em relação ao horário oficial do país.

Provas
As datas das provas do Enem foram marcadas para os dias 4 e 11 de novembro. No dia 4, serão aplicadas as questões de linguagem, ciências humanas e redação, com duração prevista de 5 horas e 30 minutos. No dia 11, será a vez das questões envolvendo ciências da natureza e matemática, com duração de 5 horas. A abertura dos portões será às 12h e o fechamento, às 13h.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não discute a possibilidade de alterar as datas das provas. Caso o pedido não seja acatado, o horário de verão começará à 0h do dia 4 de novembro e terminará em 16 de fevereiro de 2019.

Imagem: ABr

sábado, 29 de setembro de 2018

Terremoto e Tsunami provocam mortes na Indonésia

A informação vem da Veja Online -

Um total de 384 pessoas morreram em consequência do terremoto e tsunami que atingiram a ilha indonésia Célebes na sexta-feira (28).

A Agência de Gestão de Desastres de Indonésia atualizou o balanço de vítimas fatais neste sábado e anunciou que centenas de pessoas ficaram feridas. Fontes locais reportam que os hospitais não têm condições de de atender todos os feridos.

Muitas vítimas foram registradas em Palu, cidade de 350.000 habitantes na costa oeste de Célebes, informou o porta-voz da agência, Sutopo Purwo Nugroho, que pediu o envio de “funcionários, voluntários e material”. 

Ele também disse que em Palu “edifícios e casas foram destruídos, assim como hotéis e hospitais”.

“Acreditamos que dezenas ou centenas (de vítimas) ainda não foram encontradas entre os escombros. O principal centro comercial de Palu desabou. O hotel Rua-Rua também. Tinha 80 quartos e 76 estavam ocupados”, afirmou.

As imagens de Palu mostram vários corpos nas praias, alguns deles cobertos com lonas azuis. Os carros destruídos espalhados pela região mostram a violência com que a onda, de 1,5 metros de altura, atingiu a localidade.

Os hospitais não conseguem atender o grande fluxo de feridos. Muitas pessoas recebiam atendimento na rua. Os moradores transportam de modo improvisado os cadáveres.

De acordo com o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS), o terremoto de sexta-feira atingiu 7,5 graus de magnitude, e foi mais forte que a série de tremores que deixaram mais de 500 mortos e 1.500 feridos na ilhaindonésia de Lombok, na região de Bali. O tremor potente provocou algumas horas depois um tsunami de altura máxima de 1,5 metro na costa de Palu.

Pânico e fuga

O pânico levou os habitantes a fugir para os pontos mais elevados da cidade, segundo imagens das televisões locais. Um vídeo mostra uma onda atingindo vários edifícios e inundando uma mesquita.

“Comecei a correr quando via as ondas que chegavam à costa”, explicou à AFP Rusidanto, morador de Palu, que como muitos indonésios tem apenas um nome.

Os danos são importantes. Imagens difundidas pelos meios de comunicação mostram a queda de um andar em um shopping de Palu, prédios parcialmente destruídos e rachaduras em estradas e calçadas.

A cidade estava parcialmente sem energia elétrica. O aeroporto e várias estradas foram fechadas por pelo menos 24 horas.

O presidente indonésio, Joko Widodo, anunciou que o exército será enviado para ajudar nas operações de busca de vítimas.

O epicentro do terremoto foi situado 78 km ao norte de Palu e o tremor foi sentido até o sul, onde está Macasar, capital da ilha. A terra também tremeu na vizinha Kalimantan e em Samarinda, do outro lado do estreito de Macasar.

A Indonésia, um arquipélago de 17.000 ilhas, fica no Anel de Fogo do Pacífico e é um dos países do mundo mais propensos a sofrer desastres naturais.

Em 26 de dezembro de 2004, a Indonésia sofreu uma série de terremotos devastadores, um deles de magnitude 9,1, na ilha de Sumatra. Este tremor motivou um grande tsunami que provocou a morte de 220.000 pessoas na região, 168.000 delas na Indonésia.

Este foi o terceiro maior terremoto no mundo desde 1900.

Em 2006, quase 6.000 pessoas morreram em um violento sismo que atingiu a ilha de Java. Esse terremoto, de magnitude 6,3, segundo o USGS, aconteceu em uma populosa zona ao sul da grande cidade universitária de Yogyakarta e deixou 38.000 feridos. Mais de 420.000 pessoas perderam suas casas.

Imagem: AFP

Bolsonaro recebe alta médica, deixa hospital e vai para o Rio

A informação vem da Agência Brasil -

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), deixou o hospital Albert Einstein, no Morumbi, em São Paulo, às 13h45 de hoje (29). Bolsonaro seguiu para o Aeroporto de Congonhas, onde embarcará para o Rio de Janeiro, no voo das 15h403,.

O presidenciável deixou o hospital por uma saída alternativa para evitar a movimentação da imprensa, que o aguardava na entrada principal do hospital. Gustavo Bebbiano, presidente do PSL, informou que o candidato segue com a saúde frágil nos próximos 15 dias e que não fará campanha de rua. Ele avalia que, com isso, a campanha foi prejudicada.

“Porque [a campanha] não conta com muitos recursos, não aceitamos doações de empresários, fazemos uma política diferenciada. A campanha vinha sendo feita com base no contato de Bolsonaro com o público”, disse.

Bebbiano comentou sobre as polêmicas envolvendo o vice de Bolsonaro, general Mourão. “O general é um homem brilhante, uma pessoa especialmente inteligente, experiente, mas que, talvez, não tenha esse traquejo com a imprensa. Às vezes, ele pode expressar um pensamento pessoal, que não reflete o plano de governo de Bolsonaro”, declarou.

O presidente do PSL falou sobre os questionamentos de Bolsonaro a respeito da confiabilidade das urnas eletrônicas.

“O que nos incomoda é a impossibilidade da recontagem de votos. A gente tem uma contagem secreta de votos, que fica nas mãos de meia dúzia de técnicos. Infelizmente, isso contraria princípios da publicidade, transparência inerentes à administração pública”, finalizou.

Imagem: Wilson Dias/Arquivo Agência Brasil

Segundo debate, na TV, reúne cinco candidatos a governador de PE; veja propostas

A informação vem do G1 PE -

Cinco candidatos ao governo do estado de Pernambuco participaram, na noite desta sexta-feira (28), de um debate na TV Clube, promovido pela emissora e pelo Portal OP9, no Recife. Mediado pelo jornalista Ciro Guimarães, o debate reuniu Armando Monteiro (PTB), Dani Portela (PSOL), Julio Lossio (Rede), Maurício Rands (Pros) e Paulo Câmara (PSB).

Durante o encontro, os postulantes apresentaram propostas e debateram temas como saúde, educação, transporte e segurança pública.

O debate foi dividido em quatro blocos:

1º bloco: candidatos responderam a perguntas de candidatos;

2º bloco: candidatos responderam a perguntas de candidatos;

3º bloco: candidatos responderam a perguntas de candidatos sobre temas sorteados;

4° bloco: candidatos fizeram considerações finais.
Veja trechos das respostas sobre temas sorteados e considerações finais dos candidatos:

Armando Monteiro
Saúde: "A saúde em Pernambuco vai muito mal. Vinte mil pernambucanos aguardam nas filas para fazer cirurgias, uma cirurgia de hérnia ou de catarata, por exemplo. Os hospitais regionais frequentemente entram em colapso. O de Caruaru, há 10 dias, parou de fazer cirurgias por conta da falta de medicamentos básicos. No Hospital Getúlio Vargas (no Recife), houve uma greve dos médicos residentes por falta de condições mínimas. A questão é o seguinte: não se faz boa saúde sem cuidar dos servidores dessa área. Por outro lado, há questões que precisam ser enfrentadas. Tem umas OSs (organizações sociais) na área de saúde de compadrio, de afilhados, e por essas OSs passam muito dinheiro. É preciso auditá-las, verificar se elas estão verdadeiramente cumprindo [o trabalho e] atendendo o interesse público. Há lugar para as OSs na matriz, mas em Pernambuco tem a OS preferida. Portanto, pelo zelo, pelo cuidado que devemos ter com aplicação dos recursos numa área tão sensível como essa, nós temos que enfrentar essa questão. Eu vou fazer o expresso saúde, [vou] agilizar marcação de consultas de exames e [vou fazer] um grande mutirão com os hospitais privados e filantrópicos para resolver essa questão."

Considerações finais: "Indiscutivelmente, Pernambuco vive um grave retrocesso na segurança, na saúde. Perdeu força no cenário nacional, é campeão de desemprego e virou um grande canteiro de obras paradas. Temos feito um debate de alto nível, mas, infelizmente, nas últimas semanas, fomos vítimas de um ataque sistemático, covarde, que [veio] apoiado em mensagens falsas. Finalmente, em boa hora, a Justiça Eleitoral de Pernambuco pode restabelecer [a questão] ou seja, suspendendo essa veiculação de material falso, e mais do que isso, impondo penalidades e assegurando o direito de resposta. Apesar disso, não nos afastaremos da nossa linha. Vou me dirigir especialmente a você. O atual governador teve a chance dele e o governo foi largamente desaprovado. Eu venho agora, com muita humildade, pedir uma chance a você. Tenho uma vida que eu ofereço, honrada e limpa, [com] uma experiência que pude acumular ao longo do tempo. Vamos juntos, porque nós precisamos mudar, porque se não mudarmos, fica tudo como está."

Dani Portela
Educação: "Sou professora alfabetizadora de adultos desde os 15 anos por entender que isso é uma forma de revolucionar a vida de alguém. Também sou advogada de sindicatos na área da educação, advoguei em mais de 40 municípios, então a educação é um tema que eu conheço. Falar em educação e falar numa parceria do estado com os municípios é falar no modelo de uma educação integral que alcança desde a creche até o ensino médio, uma educação que valorize em todas as etapas a pessoa e o desenvolvimento da pessoa. É falar também na escola sem partido e ser contrário a esse projeto que tenta calar a autonomia dos profissionais da educação. É falar, por exemplo, em cumprir a promessa de dobrar o salário dos professores, mas, quando a gente sabe que isso não é cumprido, a gente tem que partir do pressuposto de valorizar essa carreira, de pagar a correção do piso para todas as faixas da categoria, por isso, a gente tem dito: nenhuma escola pode valer menos, nenhum professor pode valer menos do que o outro. Não é justo que a gente veja uma escola na propaganda e essa não seja a escola que a gente leva o nosso filho."

Considerações finais: "Eu estou cansada desses mesmos palanques, com as velhas oligarquias de alianças incoerentes. Sou a única mulher aqui presente e, apesar de nós termos maioria da população, nós somos minoria nos espaços de poder. Hoje, teria uma outra candidatura aqui, a candidatura de Marília Arraes, que foi rifada em detrimento de uma aliança pela incoerência. Nós temos a força de quem quer mudar. O voto no PSOL e nas nossas candidaturas é um voto na luta, na resistência e no poder popular. Chamamos todas as mulheres para o ato no sábado, no Derby. Nós decidiremos as eleições 2018. E todos os homens que queiram nos acompanhar na luta pela democracia, mulheres de todos os palanques que estão aqui, com certeza estarão lá. Dizendo 'ele não', 'ele nunca.' É em nome dessa força das mulheres que eu venho como candidata. Em nome de Marielle Franco, uma rosa que colheram do nosso jardim. Uma candidatura de uma mulher negra, não apenas uma mulher, mas uma militante. Tiraram uma flor do nosso jardim, mas não vão deter a primavera inteira, e a primavera chegou."

Julio Lossio
Segurança: "Hoje, a polícia está desmoralizada, não por ela, mas porque houve um erro e um equívoco grande, por exemplo, dos salários. Os coronéis estão muito felizes. Cabos e Soldados, muito insatisfeitos. Nós precisamos fazer uma parceria também com as guardas municipais, para que os municípios entrem para o sistema de segurança e tirar o dinheiro de dentro da secretaria. Gente, hoje, em Pernambuco, a secretaria que cuida da segurança consome de 35% a 40% dos recursos. Não dá para dizer que não liga o ar-condicionado, não dá para dizer que está faltando combustível, se o dinheiro está concentrado dentro da secretaria. É preciso valorizar o policial, é preciso agir com mais firmeza. Agora, num estado onde nós temos 150 mil crianças matriculadas no primeiro ano, no segundo ano do ensino fundamental e só terminam no ensino médio 90 mil, são 60 mil jovens que saem do sistema todos os anos. Entre 15 e 25 anos, gente, são 600 mil jovens, a matéria-prima do crime. É preciso investir para manter a nossa criança na escola."

Considerações finais: "Me tiraram de todos os debates, o sistema não tem me permitido falar com você, talvez até me tirarão do próximo, porque eles não querem me ver. Vocês perceberam, aqui se brigou muito, aqui se discutiu muito. No guia eleitoral, ele só brigam. Eu só tenho 10 segundos e eu estou trazendo propostas. Minha gente, eu tive uma história de vida de sucesso na administração privada, que muitos aqui não tiveram. Ou não tiveram experiência ou não tiveram sucesso. Eu tive história na administração pública, porque eu deixei meu município com melhor Ideb entre 20 capitais, melhor do que o do Recife. Recife gasta R$ 10 mil por aluno, a cada ano, nós gastávamos R$ 4 mil, somos muito mais eficientes. Eu fiz o maior programa de creche da história do Brasil, com 10 mil crianças atendidas. Eu fiz o maior programa de habitação da história de Pernambuco, com 15 mil moradias. Eu quero ser governador para cuidar das crianças de zero a seis anos. Eu quero ser governador para proteger o nosso jovem da droga, do homicídio, com capacitação profissional concreta para abrir o primeiro negócio."

Maurício Rands
Mobilidade: "Em primeiro lugar [vou] mudar o modelo de gestão [para que tenha] capacidade de contrair operações financeiras usando os ativos, os bens que o estado tem. Por exemplo, a Copergás é um ativo, o estado de Pernambuco tem 51% das ações da Copergás, e pode dar em garantia para contrair operações de financiamento seja no Banco Mundial seja no Banco Interamericano de Desenvolvimento, ou no setor financeiro de um modo geral, para fazer grandes investimentos para todos os modais. Eu estou começando com uma proposta que é estruturadora para o desenvolvimento, que é a ferrovia que eu vou construir, se tiver a honra de governar Pernambuco, [que vai de] Goiana até o porto de Suape, para transportar passageiros e necessidades todas do Litoral Norte, e para dar escoamento à produção do polo automotivo, do polo cervejeiro, do polo vidreiro, do polo farmacoquímico e no transporte coletivo de massas. Vou fazer grandes investimentos para que a gente complete as estações do BRT, seja o Norte e Sul, seja o Leste e Oeste; para que nós possamos ter VLT, por exemplo, na Avenida Norte; para que nós possamos expandir as linhas do metrô."

Considerações finais: "Não terceirize a sua decisão, não permita que o Ibope ou outro órgão influencie o seu voto. Nós temos aí duas grandes coligações riquíssimas, com candidaturas às vezes até contraditórias entre si, seja nos partidos, seja nos disputantes ao Senado, e essas campanhas riquíssimas, depois, têm custo para o estado. Nós estamos fazendo, inaugurando, uma nova forma de fazer política, com coligações mais programáticas, como a nossa, com campanhas mais simples, campanhas percorrendo os campos, percorrendo os sindicatos, percorrendo as comunidades, dialogando e utilizando os meios digitais, utilizando espaços como esse que a TV Clube, gentilmente, nos proporciona para dialogar com o povo e ver que Pernambuco está insatisfeito. Eu quero ser governador para fazer de Pernambuco um grande canteiro de obras, para trazer desenvolvimento e sobretudo emprego à nossa gente. Eu quero ser governador para que o estado tenha um olhar diferente, que olhe cada pernambucana e cada pernambucano, não para asfixiar no contributo, com burocracia, com descaso, com as práticas do loteamento dos cargos, da velha política."

Paulo Câmara
Habitação: "Já entregamos mais de 11 mil [unidades habitacionais] ao longo desses três anos e nove meses do nosso governo e pretendemos entregar, até o final do ano, mais 3 mil novas moradias. Estamos aguardando a liberação da nossa operação de crédito para a gente poder mais fazer mais 5 mil. Agora, cerca de 20 mil novas unidades habitacionais ainda é pouco diante do déficit habitacional do nosso estado e, por isso, que a gente tem que ter metas mais ousadas para os próximos quatro anos, fazer muita obra em virtude da possibilidade que nós vamos ter, já que Pernambuco já está crescendo o dobro do Brasil, de ter acesso ao crédito, de fazer as parcerias com o governo federal e de buscar, efetivamente, construir pelo menos mais 20 novas mil unidades habitacionais. Isso é um compromisso que a gente vai em frente, porque a gente sabe que não podemos deixar, de maneira nenhuma, de atender as pessoas. Agora, uma grande ação que nosso governo fez e que vai continuar fazendo, também, foi a questão da escritura. Nós entregamos cerca de 40 mil escrituras e pessoas que faziam décadas que já tinham a sua habilitação, mas que não tinha o documento registrado no cartório."

Considerações finais: "Tem dois lados, o lado do povo, ao qual eu pertenço, o lado de Lula, o lado de Miguel Arraes, de Eduardo Campos, e o outro lado o outro lado que tá lá, a turma do Temer, que votou a favor da Reforma Trabalhista, que votou a favor de tirar os direitos dos trabalhadores, que queria vender o Rio São Francisco. Então, eu peço seu apoio para a gente continuar fazer Pernambuco andar para frente. Um Pernambuco que possa continuar melhorar a vida do povo. Vamos fazer as obras que essa crise não deixou. A gente vai fazer um grande pacto pelo emprego, para restabelecer os empregos que essa crise tirou, porque nós estamos prontos. Preparamos Pernambuco, atravessamos essa crise e equilibramos as contas. Estamos colocando os serviços para funcionar e temos muito o que fazer. Nós vamos criar o 13º do Bolsa Família, vamos criar o ProUni, para garantir acesso dos nossos jovens nas universidades, nas faculdades. Vamos também criar o crédito popular, para dar acesso a crédito rápido e barato às pessoas que querem montar o seu pequeno negócio."

Imagem: Aldo Carneiro/Pernambuco Press

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Datafolha: Haddad sobe 6 pontos e chega a 22%; Bolsonaro mantém 28%

A informação vem da Veja Online -

O Datafolha divulgou na noite desta sexta-feira, 28, uma nova pesquisa com números de intenção de voto para a corrida pela Presidência da República. A nove dias da votação do primeiro turno, o levantamento mostra que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) se mantém na liderança, com 28% da preferência, seguido por Fernando Haddad (PT), com 22%, um avanço de seis pontos porcentuais.

No último levantamento do Datafolha, divulgado em 20 de setembro, Bolsonaro tinha 28% das intenções de voto, seguido por Haddad, com 16%, e o candidato do PDT, Ciro Gomes, com 13%, ambos empatados dentro da margem de erro de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Na pesquisa publicada nesta sexta, Ciro tem 11% da preferência do eleitorado, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 10%; e Marina Silva (Rede), com 5%. O pedetista e o tucano estão empatados na margem de erro, que é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Em seguida vêm João Amoêdo (Novo), com 3% das intenções de voto; Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB), com 2% cada um; Vera Lúcia (PSTU), Guilherme Boulos (PSOL) e Cabo Daciolo (Patriota), com 1% cada um. José Maria Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) não pontuaram. Brancos e nulos somam 10%. Não souberam ou não responderam 5%.

A nova pesquisa Datafolha ouviu 9.072 eleitores em 349 municípios, distribuídos nos 26 estados e no Distrito Federal. O levantamento está registrado junto ao Tribunal Superior Eleitoral sob a identificação BR-08687/2018.

Rejeição aos presidenciáveis
O Datafolha também mediu a rejeição dos treze presidenciáveis entre o eleitorado, perguntando aos entrevistados em quais candidatos eles não votariam de jeito nenhum. A soma dos números é superior a 100% porque os eleitores podem indicar mais de um candidato na resposta.

Jair Bolsonaro continua como o mais rejeitado, com 46%, três pontos porcentuais a mais que na pesquisa anterior. Em seguida vêm Fernando Haddad, cuja rejeição passou de 29% para 32%; Marina Silva, de 32% para 28%; Geraldo Alckmin, que se manteve em 24%; e Ciro Gomes, de 22% para 21%.

Vera Lúcia é rejeitada por 18% dos eleitores; Cabo Daciolo, Guilherme Boulos e José Maria Eymael, por 17% cada um; Henrique Meirelles, por 16%; Alvaro Dias, por 15%; João Amoêdo e João Goulart Filho, por 14% cada um.

Responderam que rejeitam todos ou não votariam em nenhum 4% dos entrevistados. Não rejeitam nenhum ou votariam em qualquer candidato 2%. Não souberam responder 4% dos eleitores.

Imagem: Reproduzida da internet

Pesquisa Datafolha para o Senado em Pernambuco: Jarbas, 38%; Humberto, 34%; Mendonça, 27%

A informação vem do G1 PE -

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (28) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco:
  • Jarbas (MDB): 38%
  • Humberto Costa (PT): 34%
  • Mendonça Filho (DEM): 27%
  • Bruno Araújo (PSDB): 11%
  • Silvio Costa (Avante): 11%
  • Pastor Jairinho (Rede): 5%
  • Adriana Rocha (Rede): 3%
  • Hélio Cabral (PSTU): 1%
  • Lídia Brunes (Pros): 1%
  • Albanise (PSOL): 1%
  • Eugênia (PSOL): 1%
  • Alex Lima Rola (PCO): 1%
  • Em branco/nulo/nenhum para a 1ª vaga: 18%
  • Em branco/nulo/nenhum para a 2ª vaga: 27%
  • Não sabe para a 1ª vaga: 7%
  • Não sabe para a 2ª vaga: 12%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo”.

No levantamento anterior, feito nos dias 18 e 19 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:
  • Jarbas (MDB): 36%
  • Mendonça Filho (DEM): 31%
  • Humberto Costa (PT): 30%
  • Bruno Araújo (PSDB): 12%
  • Silvio Costa (Avante): 11%
  • Pastor Jairinho (Rede): 6%
  • Adriana Rocha (Rede): 3%
  • Hélio Cabral (PSTU): 2%
  • Lídia Brunes (Pros): 2%
  • Albanise (PSOL): 1%
  • Eugênia (PSOL): 1%
  • Alex Lima Rola (PCO): 1%
  • Em branco/nulo/nenhum para a 1ª vaga: 20%
  • Em branco/nulo/nenhum para a 2ª vaga: 28%
  • Não sabe para a 1ª vaga: 6%
  • Não sabe para a 2ª vaga: 10%

Sobre a pesquisa desta sexta, 28

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 1.302 eleitores de 55 municípios do Estado, com 16 anos ou mais

Quando a pesquisa foi feita: entre os dias 26 e 28 de setembro

Registro no TSE: PE-03031/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

A Datafolha também ouviu eleitores em Pernambuco a respeito da disputa para o governo.

Imagem: Reproduzida da internet

Pesquisa Datafolha em Pernambuco: Paulo Câmara, 38%; Armando Monteiro, 30%

A informação vem do G1 PE -

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (28) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco:
  • Paulo Câmara (PSB): 38%
  • Armando Monteiro (PTB): 30%
  • Julio Lossio (Rede): 3%
  • Maurício Rands (Pros): 3%
  • Dani Portela (PSOL): 2%
  • Ana Patrícia Alves (PCO): 1%
  • Simone Fontana (PSTU): 1%
  • Branco/nulo/nenhum: 16%
  • Não sabe: 6%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo”.

No levantamento anterior, feito nos dias 18 e 19 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:
  • Paulo Câmara (PSB): 35%
  • Armando Monteiro (PTB): 31%
  • Julio Lossio (Rede): 3%
  • Ana Patrícia Alves (PCO): 2%
  • Maurício Rands (Pros): 2%
  • Dani Portela (PSOL): 1%
  • Simone Fontana (PSTU): 1%
  • Branco/nulo: 19%
  • Não sabe: 6%

Sobre a pesquisa desta sexta-feira, 28

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 1.302 eleitores de 55 municípios de Pernambuco, com 16 anos ou mais

Quando a pesquisa foi feita: entre 26 e 28 de setembro

Registro no TSE: PE-03031/2018
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

Rejeição
A Datafolha também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome, por isso, os resultados somam mais de 100%. Veja os índices:
  • Dani Portela (PSOL): 31%
  • Julio Lossio (Rede): 31%
  • Paulo Câmara (PSB): 31%
  • Simone Fontana (PSTU): 31%
  • Armando Monteiro (PTB): 30%
  • Ana Patrícia Alves (PCO): 29%
  • Maurício Rands (PROS): 29%
  • Rejeita todos/não votaria em nenhum: 9%
  • Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 2%
  • Não sabe: 6%

Simulação de segundo turno
• Paulo Câmara (PSB): 43% x 38% Armando Monteiro (PTB) (branco/nulo: 16%; não sabe: 3%)

A Datafolha também ouviu eleitores em Pernambuco a respeito da disputa para o Senado.

Imagem: Reproduzida da internet

Anatel determina ligações gratuitas em orelhões da Oi em 11 estados

A informação vem da Agência Brasil -

As ligações locais e de longa distância nacional feitas a partir de orelhões da Oi permanecerão gratuitas até 31 de março de 2019 em 11 estados do país. A determinação é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em razão do não cumprimento de obrigações por parte da concessionária.

A medida vale para nove estados da Região Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte) e dois da Região Norte (Amazonas e Amapá). A punição é uma extensão de pena aplicada a Oi pela Anatel em outubro do ano passado.

Após fiscalização que constatou que o percentual de orelhões em condições de operação não atingiu os patamares estabelecidos pela agência, que deve ser de, no mínimo, 90% em todas as unidades da Federação e de no mínimo 95% nas localidades atendidas somente por orelhões, a Oi foi responsabilizada.

Na ocasião, a agência liberou as ligações locais em 15 estados. Em março deste ano, após nova fiscalização, a agência manteve a punição desta vez para 12 estados, determinando que o encerramento da punição para dia 30 de setembro.

Em agosto, nova aferição foi realizada e constatou que a Oi não cumpriu as metas de disponibilidade de orelhões em funcionamento nestes estados, à exceção de Roraima. Em Roraima, as ligações poderão ser cobradas, a partir de segunda-feira (1º).

A Anatel disse ainda que a Oi já foi notificada da medida e que uma nova medição deverá ser feita em 28 de fevereiro de 2019 e vai indicar os estados em que as ligações poderão ser cobradas a partir de 1º de abril de 2019.

Esta não é a primeira vez que a Oi é punida pela Anatel a não cobrar pelas ligações feitas a partir de seus orelhões. A operadora já chegou a ser punida em 2015 por não ter alcançado os patamares mínimos de operações exigidos pela agência reguladora.

Imagem: Reproduzida da internet

TRE-PE determina apreensão de material de campanha com Lula como candidato a presidente em diretórios do PT e PSB

A informação vem do G1 PE -

O Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) autorizou que sejam apreendidos, em endereços ligados aos diretórios estaduais do PT e do PSB, material de campanha que mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à presidência nas eleições 2018. A liminar da desembargadora eleitoral substituta Karina Albuquerque Aragão de Amorim atendeu a um pedido feito pela campanha do candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A decisão judicial foi concedida na quinta-feira (27), após a coligação Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos (PSL/PRTB), denunciar a distribuição de material impresso de campanha com o nome e a imagem de Lula como candidato à presidência junto com o nome e a imagem de Paulo Câmara (PSB), candidato à reeleição ao governo de Pernambuco.

Nesta sexta-feira (28), ocorrem em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul apreensões de materiais com Lula como candidato a presidente. Condenado na Operação Lava-Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula cumpre pena em Curitiba desde abril deste ano. Em 1º de setembro, o ex-presidente teve o registro de candidatura negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) devido à Lei da Ficha Limpa.

Na decisão, a desembargadora afirma que os advogados da campanha de Bolsonaro apresentaram imagens que mostram cartazes pregados em muros de bairros do Recife com as mensagens "Lula 13" e "Paulo 40", além de "Lula é Paulo. Paulo é Lula.", fazendo referência à coligação Frente Popular de Pernambuco, que reúne o PSB, o PT e outros 11 partidos.

“A veiculação/divulgação de Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a Presidente da República, cria na opinião pública estados passionais e emocionais, à medida que traz a falsa ideia de que ele ainda é candidato”, explicou a desembargadora na liminar.

No texto, ela também ressaltou que o TRE-PE já havia determinado, em decisão anterior, “a suspensão da transmissão de propaganda eleitoral realizada por qualquer meio de comunicação, bem como distribuição de material gráfico” que se refira a Lula como candidato a presidente. Em caso de descumprimento dessa determinação anterior, a pena prevista é de pagamento de uma multa diária de R$ 100 mil.

Imagem: Reproduzida da internet

quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Pesquisa Ibope para o Senado em Pernambuco: Humberto, 32%; Jarbas, 31%; Mendonça, 22%

A informação vem do G1 PE -

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (27) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco:

  • Humberto Costa (PT): 32%
  • Jarbas (MDB): 31%
  • Mendonça Filho (DEM): 22%
  • Silvio Costa (Avante): 12%
  • Bruno Araújo (PSDB): 9%
  • Pastor Jairinho (Rede): 5%
  • Adriana Rocha (Rede): 3%
  • Eugênia (PSOL): 2%
  • Hélio Cabral (PSTU): 2%
  • Albanise Pires (PSOL): 2%
  • Lídia Brunes (Pros): 1%
  • Alex Rola (PCO): 1%
  • Brancos/nulos – Vaga 1: 20%
  • Brancos/nulos - Vaga 2: 29%
  • Não sabe/não respondeu: 30%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo "Jornal do Commercio”. É o quarto levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito entre os dias 14 e 16 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

  • Jarbas (MDB): 34%
  • Humberto Costa (PT): 31%
  • Mendonça Filho (DEM): 22%
  • Silvio Costa (Avante): 10%
  • Bruno Araújo (PSDB): 8%
  • Pastor Jairinho (Rede): 4%
  • Adriana Rocha (Rede): 2%
  • Eugênia (PSOL): 1%
  • Hélio Cabral (PSTU): 1%
  • Albanise Pires (PSOL): 1%
  • Lídia Brunes (Pros): 1%
  • Alex Rola (PCO): 0%
  • Brancos/nulos – Vaga 1: 22%
  • Brancos/nulos - Vaga 2: 34%
  • Não sabe/não respondeu: 28%

Sobre a pesquisa divulgada nesta quinta, 27

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Quem foi ouvido: 1.512 eleitores
  • Quando a pesquisa foi feita: 24 a 26 de setembro
  • Registro no TRE: PE-07101/2018
  • Registro no TSE: BR-06913/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
0% significa que o candidato não atingiu 1%.

O Ibope também ouviu eleitores a respeito da disputa para o Governo de Pernambuco.

Imagem: Reproduzida da internet

Pesquisa Ibope para o governo em Pernambuco: Paulo, 35%; Armando, 27%

A informação vem do G1 PE -

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (27) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco:

  • Paulo Câmara (PSB): 35%
  • Armando Monteiro (PTB): 27 %
  • Julio Lossio (Rede): 3%
  • Maurício Rands (PROS): 2%
  • Ana Patrícia Alves (PCO): 1%
  • Simone Fontana (PSTU): 1%
  • Dani Portela (PSOL): 1%
  • Brancos/nulos: 23%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo "Jornal do Commercio". É o quarto levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito entre os dias 14 e 16 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

  • Paulo Câmara (PSB): 33%
  • Armando Monteiro (PTB): 25%
  • Julio Lossio (Rede): 2%
  • Maurício Rands (PROS): 2%
  • Ana Patrícia Alves (PCO): 1%
  • Simone Fontana (PSTU): 1%
  • Dani Portela (PSOL): 1%
  • Brancos/nulos: 24%
  • Não sabe/não respondeu: 10%

Sobre a pesquisa desta quinta-feira, 27

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 1.512 eleitores

Quando a pesquisa foi feita: de 24 a 26 de setembro

Registro no TRE: PE-07101/2018

Registro no TSE: BR‐06913/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro
0% significa que o candidato não atingiu 1%.

Rejeição
O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices no levantamento feito entre 24 e 26 de setembro:

  • Paulo Câmara (PSB): 32%
  • Armando Monteiro (PTB): 29%
  • Julio Lossio (Rede): 25%
  • Ana Patrícia Alves (PCO): 22%
  • Dani Portela (PSOL): 22%
  • Simone Fontana (PSTU): 22%
  • Maurício Rands (PROS): 21%
  • Poderia votar em todos: 4%
  • Não sabe/não respondeu: 15%

Simulação de segundo turno
Paulo Câmara 43% x 34% Armando Monteiro (branco/nulo: 18%; não sabe: 6%)

O Ibope também ouviu eleitores em Pernambuco a respeito da disputa para o Senado.

Imagem: Reproduzida da internet

Concurso da Secretária de Saúde de PE tem inscrições prorrogadas; são mil vagas e salários de até R$ 9,3 mil

A informação vem do G1 PE -

Foram prorrogadas pela segunda vez, nesta quinta-feira (27), as inscrições para o concurso da Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE). Agora, os interessados têm até às14h do dia 3 de outubro para se inscreverem no certame, que conta com mil vagas e salários de até R$ 9,3 mil.

As inscrições podem ser feitas no site do Instituto OACP. A taxa de inscrição é de R$ 40 para as vagas de nível médio e R$ 60 para nível superior. Nesta quinta-feira (27), foram divulgados, no site da SES, os resultados das solicitações de isenção da taxa.

A prova objetiva do concurso acontece no dia 21 de outubro e tem o resultado divulgado no dia 26 de novembro. Para os candidatos às vagas de assistentes em saúde, de nível médio, esta etapa é a única da seleção. Já para os profissionais de nível superior, é realizada, ainda, uma avaliação de títulos, entre 26 e 30 de novembro.

O resultado final do certame, após os recursos, está previsto para ser divulgado em 15 de janeiro. O concurso tem validade de dois anos após e pode ser prorrogado pelo mesmo período.

Especialidades e salários
As vagas para o cargo de analista em saúde são nas especialidades de assistente técnico de administração, técnico de enfermagem, técnico de imobilização ortopédica, técnico de laboratório, técnico de necropsia, técnico em radiologia, técnico em saúde bucal e técnico em farmácia. O salário é de R$ 954 para o regime de diarista ou de R$ 1.087,17 para o regime de plantão.

Para os cargos de assistente em saúde, as especialidades são: assistente social, biomédico, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo, sanitarista, médico veterinário, administrador, contador, analista em educação na saúde. O salário é de R$ 1.714,67 para regime de diarista ou de R$ 2.513,27 para o regime de plantonista.

Já para o cargo de Fiscal de Vigilância Sanitária, o salário é de R$ $ 4.228,81 e as vagas são para enfermeiro, farmacêutico e nutricionista.

Há, ainda, 260 vagas para os cargos de médico com a remuneração é de R$ $ 5.707,86, para regime de diarista, ou de R$ 9.326,57 para plantonistas.

As oportunidades são para as seguintes especialidades: anatomopatologista; anestesiologista; cardiologista; cirurgiões de cabeça e pescoço, geral, pediátrico, torácico e vascular; clínico geral; coloproctologista; endoscopista; infectologista; intensivista de adulto e pediátrico; neonatologista; neurocirurgião; neuropediatra; neurologista; oncologista; otorrinolaringologista; pediatra; pneumologista; psiquiatra; em radiologia e diagnóstico por imagem; tocoginecologista; traumato ortopedista e urologista.

Segundo a SES, a prorrogação acontece porque, até o momento, mais de 127 mil pessoas fizeram a inscrição e, no entanto, apenas cerca de 63 mil já tiveram o pagamento da taxa confirmado.

Imagem: Divulgação

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More