VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

BAIXE O APLICATIVO RADIOSNET E OUÇA A NOVA XUCURU EM TODO LUGAR; CLIQUE NA FOTO ABAIXO E SAIBA MAIS

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

BRASIL, O PAÍS DA PEDOFILIA; DADOS DA POLÍCIA FEDERAL APONTAM QUE 76% DOS PEDÓFILOS DO PLANETA SÃO DAQUI

Com informações do DIARIO DE PE -

"Eu tinha dez anos. Minha mãe trabalhava fora e estava sempre viajando. Meu padrasto ficava mais tempo em casa. Ele me criou desde que eu tinha quatro anos. Um dia, invadiu meu quarto, tapou minha boca e me atacou". As lembranças de Andreza, hoje com 30 anos, vêm como um grito tardio de mais uma vítima da pedofilia. A cada 15 segundos uma criança é abusada sexualmente no mundo. No Brasil, o crime se repete a cada oito minutos. As informações foram divulgadas pela Polícia Federal e se agravam com a constatação de que o país concentra 76% dos pedófilos do planeta, além de ser o líder na internet quando o assunto é pornografia infantil.

"Na primeira vez, eu esperei a família se reunir e contei. Tenho uma irmã mais nova e tinha medo que ele fizesse algo com ela também. Mas minha mãe não acreditou. Ele, claro, negou. Ela disse que eu estava inventando, que era coisa da minha cabeça. Foi a brecha para tudo continuar", desabafou. "Ele me abraçava, me beijava e me levava para o quarto. Tirava a minha roupa, tirava a dele, me tocava, se esfregava em mim, passava as partes íntimas dele na minha e se masturbava. Eu tentava escapar, mas ele era muito mais forte. Tentava gritar, mas ele me calava. Sempre dizia que ninguém acreditaria". 

O relato de Andreza se confunde com outros silenciados pelo medo e vividos à sombra da incredulidade. De acordo com a Polícia Federal, na maioria dos casos, o abusador é alguém próximo à vítima, familiares ou vizinhos. Em Pernambuco, somente este ano, foram deflagradas cinco operações de combate em 13 municípios. 

Com a internet e a limitada legislação sobre crimes cibernéticos, a pedofilia ganhou forma de atuação ainda mais difícil de se conter. Começa com uma conversa despretensiosa. Com um clique, a troca de fotos e vídeos está feita. Em apenas um minuto, cresce a estatística. Números que são agravados pela invasão, a cada mês, de cerca de mil novos sites com conteúdo pornográfico infantil.

Pela lei, produzir, reproduzir, dirigir, fotografar, filmar ou registrar cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente é crime. Assim como agenciar, facilitar, recrutar, coagir ou intermediar a participação dos menores de idade nas imagens. "O que pouca gente sabe é que trocar esse conteúdo e armazená-lo também são crimes passíveis de prisão. As pessoas não têm noção do que significa pedofilia, mas estamos atuando de forma enfática para inibir esses atos", explica o assessor de comunicação da Superintendência da Polícia Federal em Pernambuco, Giovani Santoro. No mercado negro, a imagem de uma criança nua pode valer R$ 1 mil. Um vídeo com cenas de sexo envolvendo menores de idade pode custar até R$ 10 mil. As cifras e os entraves na legislação favorecem a proliferação dos atos criminosos.

De acordo com a Polícia Federal, os pedófilos gastam, em média, sete minutos para atrair a vítima. No entanto, há casos em que a abordagem acontece em apenas um minuto. "Meninas têm dez vezes mais chances de serem alvos que meninos. E, em 99% dos casos, os pedófilos são homens entre 25 e 35 anos", alerta Giovani Santoro.

Entre 2013 e 2014, 500 pedófilos foram presos no Brasil. Em Pernambuco, no mesmo período, foram instaurados 76 inquéritos com 42 mandados de busca cumpridos em 24 cidades com registro de pornografia infantil. Sete suspeitos foram presos em flagrante. No mapa da PF, os estados com maior número de casos registrados são Brasília, Espírito Santo e Rondônia. Pernambuco aparece em 8º lugar no ranking nacional. "Hoje, quando lembro do que houve, sinto como se fosse uma ferida que nunca cicatriza. Em nenhum momento você vai aceitar ou apagar aquilo. Tem gente que pensa em matar, em morrer, mas eu agradeço a Deus por estar bem. Olho para trás e vejo que consegui superar. Casei, construí a minha família, tenho um filho lindo e sigo em paz", conta Andreza. A mãe e o padrasto permaneceram juntos por 20 anos. O relacionamento acabou em 2014. A família vivia, na época, em Vila Rica, Jaboatão dos Guararapes. A mãe ainda não acredita que ele tenha sido capaz de se aproveitar da filha.

Foto: Reprodução

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More