VOCÊ FAZ O SUCESSO

VOCÊ FAZ O SUCESSO

BAIXE O APLICATIVO RADIOSNET E OUÇA A NOVA XUCURU EM TODO LUGAR; CLIQUE NA FOTO ABAIXO E SAIBA MAIS

quarta-feira, 29 de julho de 2015

NÁUTICO PERDE PARA O PARANÁ, MAS SE MANTÉM NO G-4 DA SEGUNDONA

Com informações do Blog do Torcedor -

O Náutico conseguiu ser mais frio que a noite do inverno paranaense e foi presa fácil para um mediano Paraná, nesta terça (28), pela 15ª do Campeonato Brasileiro da Série B. Com um esquema com cinco jogadores no meio-campo, o Alvirrubro nem atacou, nem defendeu e viu o adversário construir o 2×0 que garantiu a vitória antes mesmo dos 20 minutos de jogo.

A boa notícia é que os resultados da rodada, como as derrotas de Sampaio Corrêa e Bahia, ajudaram o Náutico, apesar do revés, a permanecer no G4, na quarta colocação, com 27 pontos. O Paraná subiu três posições e está em 11ª. O próximo compromisso alvirrubro é sábado (1º), na Arena Pernambuco, contra o Macaé, oitavo colocado, com 23 pontos.

O JOGO

A proposta alvirrubra era aproveitar a inflação de jogadores no meio-campo para marcar forte o Paraná e roubar a bola. Curiosamente, logo na primeira investida, os paranistas conseguiram não só segurar a pressão como partir em contra-ataque. Numa jogada rápida, aos 4 minutos, a bola sobrou fora da área para Rafael Costa chutar seco, no canto de Júlio César, que nada pôde fazer.

Aos 12, o Náutico caiu pela direita e a bola foi cruzada para dentro da área. Livre, William Magrão teve a oportunidade de escorar, mas chutou em cima do adversário, desperdiçando boa chance.

Se parecia que a partida seria um VT do jogo contra o Vitória, com gol sofrido antes dos 5 minutos e chances perdidas, a sequência do jogo foi diferente. O Paraná continuou pressionando e em mais uma troca de passe na área alvirrubra, Fernando Viana encontrou espaço para concluir com precisão e aumentar a vantagem paranista.

Com o resultado favorável, o Paraná recuou e passou a esperar o Náutico. O escape paranaense, porém, era sempre perigoso, pela lateral-esquerda defensiva alvirrubra, onde o volante Fillipe Soutto jogava improvisado no lugar do (mais uma vez) suspenso Gastón Filgueira. Enquanto isso, o Timbu arriscava em bolas paradas, nos pés de Guilherme. Numa delas, a bola cruzou a área e o goleiro Marcos tirou no susto.

A tentativa de reação alvirrubra seguiu meio desajeitada e, mesmo assim, William Magrão, numa jogada individual, chutou de fora da área. A bola desviou na defesa e teimosamente beijou a trave.

Como o atacante Douglas nem tocou na bola no primeiro tempo, totalmente isolado, o técnico Lisca voltou do intervalo com Renato no ataque, sacando o lateral-direito Guilherme e deixando o Timbu com as duas laterais ocupadas com jogadores improvisados.  Não demorou muito e aos 16 o técnico timbu mexeu novamente, sacando o apagado Marino para colocar Pedro Carmona.

As substituições não tiraram o Náutico de letargia, que além de não criar assistia passivamente o Paraná arriscar, sem marcação nenhuma, chutes de fora da área. Lisca tentou acordar o time mais uma vez, sacando Hiltinho e colocando Bruno Alves. A mexida, porém, surtiu efeito.

No primeiro lance do jogo, Bruno Alves lançou Gil Mineiro, que invadiu a área e concluiu, mas o goleiro paranista Marcos fez boa defesa. Logo depois, foi a vez de Douglas avançar e se enroscar com o defensor dentro da área. O artilheiro caiu e pediu pênalti, em lance para lá de duvidoso, mas o árbitro preferiu dar cartão amarelo ao jogador alvirrubro.

A expectativa de reação, porém, parou por aí. O Náutico voltou ao futebol “glacial” em campo e correu atrás da bola até o árbitro terminar uma partida que o torcedor timbu tem tudo para esquecer.

FICHA DO JOGO

Paraná

Marcos; Ricardinho, Luís Felipe, Luciano Castan e Rafael Carioca; Jean, Rafael Costa (Lucas Pará), Fernandes e Danielzinho; Fernando Viana (Paulo Henrique) e Henrique. Técnico: Fernando Diniz.

Náutico

Júlio César; Guilherme (Renato), Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Fillipe Soutto; João Ananias, Gil Mineiro, William Magrão, Marino (Pedro Carmona) e Hiltinho (Bruno Alves); Douglas. Técnico: Lisca

Árbitro: José Rocha Filho (SP). Assistentes: Carlos Augusto Júnior e Ricardo Lanuto (ambos SP). Cartões amarelos: Douglas e Bruno Alves. Gols: Rafael Costa, Fernando Viana (4 e 18 do 1º). Público: 8.644 torcedores. Renda: R$ 91.988,00.

Comente com o Facebook:

0 comentários:

Postar um comentário

Share

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More